Desenvolvimento: Estimular a linguagem da criança

Em outro post compartilhei sobre a importância da aquisição da linguagem. O texto de hoje aborda como os pais podem estimular a linguagem dos seus filhos. Como comentei anteriormente, a linguagem é fundamental na vida das pessoas, através dela nos socializamos e expressamos o que pensamos. Por isso trago abaixo, atividades que os pais podem fazer, para que desde bebê, seu filho seja estimulado e se aproprie da linguagem de maneira correta.

Venho ressaltar, que atualmente, as crianças estão rodeadas por tecnologias, recebendo muita informação que acaba substituindo a interação com os pais e outras pessoas. Os pais devem interagir muito mais com as crianças, conversando com elas em todos os momentos que estão juntos, criando assim vínculo e afeto, além de estimular a linguagem.

Por que estimular?

Estimulando a linguagem, estamos desenvolvendo, na criança, a capacidade de compreensão por meio da linguagem, a capacidade de percepção e diferenciação dos sons, a emissão de sons e a comunicação verbal e não verbal. Através dessa estimulação, a criança pode aprender mais palavras, aumentando seu vocabulário, melhorar a sua pronúncia, aprender a comunicar suas necessidades e a se expressar através da fala.

Como estimular a linguagem?

A criança/bebê precisa se familiarizar com a linguagem falada e para isso você deve conversar com ela sobre diferentes temas e em diferentes situações. Mesmo com os recém-nascidos, como, no banho, enquanto se alimenta, faz o bebê dormir, troca sua roupa e fralda. Fale para criança sobre a família, os irmãos, a casa, a roupa. Cante músicas fazendo gestos e aplaudindo, chame cada coisa pelo seu nome. Use brinquedos para interagir com a criança, converse com a criança usando bichinhos e bonecos, mude o tom da voz e as posições do brinquedo, no berço e no quarto.

Interação verbal

Promova interação verbal, reforçando a criança quando ela emite sons guturais e balbucios, responda a ela com o olhar, carinho e palavras, incentivando que ela continue a conversar. Estimule ela a conhecer o nome e a qualidade das coisas ao seu redor, carregando-a pela casa e jardim, parando em frente a objetos diferentes, fale sobre esse objeto, aponte-o e faça com que ela o perceba.

Utilize uma toalha ou lenço para brincar de esconder-se ou esconder a criança, perguntando “cadê o bebê? ”, “a mamãe? ”, o “papai? ”, quando achar, responda “aqui”, “achou”, dessa maneira estará chamando a atenção do seu filho e estimulando a interação. A estimulação do diálogo, pode ser feita também, através de fantoche.

Brincadeiras que vão estimular a linguagem

Quando a criança já estiver compreendendo melhor, dê ordens simples a ela, como: “manda beijo”, “dá tchau”, estimule os órgãos necessários para fala, língua, lábios e bochechas, fazendo com que ela brinque de estalar a língua, vibrar a língua, sugar e encher as bochechas.

Para a criança compreender os diferentes nomes dos objetos, você utiliza brinquedos que a criança goste e que ela conheça, coloque-os em fila e peça para ela lhe entregar o objeto que você nomeou, exemplo: você pede para ela pegar a bola e ela lhe entrega a bola. Quando acertar comemore com ela, se errar, mostre-a qual objeto você pediu.

Para desenvolver a expressão dos desejos, reforce na criança as diferentes expressões verbais e não-verbais para conseguir algo, incentive ela a mostrar e apontar o que ela quer, e posteriormente, tentar verbalizar. Brinque com os animais, mostrando como cada animal faz e estimulando que a criança a emitir o som. Peça para a criança chamar as pessoas, falar os nomes, motive-a que peça os brinquedos que não consegue pegar, ensine-a a transmitir mensagens simples, como: “me dá o sapato”.

Atividades do dia a dia para estimular a linguagem

menina se vestindo

Incentive a criança a transmitir suas necessidades básicas, oferecendo variados alimentos, roupas, brinquedos, peça para ela escolher o que ela quer. Deixe ela nomear, reforce o nome e fale características do produto que ela escolheu. Estimule que a criança contar o que ocorreu no seu dia: o que comeu, com o que brincou, o que vestiu. Faça mímicas de ações que a criança já conheça e deixe que ela adivinhe, exemplo: imite alguém comendo.

Conforme a criança for crescendo, as atividades devem tornar-se mais complexas, para reforçar mais esse desenvolvimento da linguagem. Quando contar histórias, pergunte sobre os personagens, sobre o que aconteceu, como poderia continuar ou criar um final diferente. Mostre as figuras para que ela nomeie o que está acontecendo.

Brinque com a criança com diferentes jogos e brincadeiras, com bonecas, carrinhos, jogos de encaixe, jogos de memória, quebra-cabeça. Através da brincadeira guiada pelo adulto, a criança desenvolve o conhecimento sobre como brincar. Diga para ela contar o que está fazendo, incentive que ela crie personagens, que ela consiga expressar que esses personagens têm necessidades como a criança, por exemplo: que o boneco tem que comer, fazer xixi, dormir.

Crie cenários e maquetes com a criança, faça casinhas, barraquinhas com caixas e lençóis. Lembre-se de deixar a criança como protagonista, escolhendo como ela quer fazer. A criança ao ser orientada pelo adulto vai aprender sobre a melhor forma de brincar e o que é possível fazer.

É importante salientar que ao conversar com a criança, se coloque na altura dela, de frente para ela, para que ela observe a movimentação dos seus lábios e língua e possa repeti-los. Pronuncie corretamente as palavras, use uma boa articulação. Se a criança já estiver com dois anos, elimine os hábitos orais, como a mamadeira e chupeta. Pois o uso destes prejudicam na fala e nas estruturas da boca. Se a ainda criança permanecer usando gestos e apontando, comece a inibi-la e não pegue o objeto sem que ela tenha falado o nome. Diga que quer que ela fale, e não consegue entende-la assim.

Segue abaixo, as principais dicas:

  • Responda e entre no diálogo do seu filho, mesmo que sejam apenas balbucios e vocalizações.
  • Converse sempre com a criança, falando sobre as ações que acontecem e as funções dos brinquedos;
  • Ao conversar com a criança, fique na frente dela. Isso fará com que ela veja seu rosto e a movimentação de sua boca;
  • Pronuncie corretamente as palavras. Não imite o erro;
  • Não infantilize seu filho, não repita sua fala, se ele faz trocas estimule para que ele fale corretamente;
  • Quando a criança usar gestos e apontar, peça e incentive que ela nomeie;
  • Não fale pelo seu filho, faça com que ele sinta necessidade de falar.

Concluindo:

A linguagem é desenvolvida através da interação, dos pais e outros adultos, com a criança. Para isso, é importante que os pais brinquem, conversem, escutem e amem muito seu filho. Deus nos concedeu a capacidade de raciocinar e expressar nosso pensamento. Então, mostre ao seu filho o prazer que temos em nos comunicar com as pessoas e instigue a criança, para que ela tenha o desejo de falar.

E se vocês, pais, perceberem que seu filho está apresentando um atraso na linguagem, não consegue se expressar e se comunicar, apresenta muitas trocas na fala, procure um fonoaudiólogo e peça uma avaliação. Previna para que ele não sofra no futuro.

Referências:

– Conselho Federal de Fonoaudiologia: www.fonoaudiologia.org.br

– Equipe Cultura; Estimulação Precoce: Inteligência emocional e cognitiva; ed. Vergara Brasil; São Paulo

Bacharel em Fonoaudiologia pela UFSC
Cursando Pós-graduação em Neuropsicopedagogia clínica pela UNILAS




Comente