Desenvolvimento da linguagem

Hoje eu vou falar um pouco sobre a linguagem, que é fundamental para o desenvolvimento infantil. A linguagem é a principal forma do ser humano se comunicar com as outras pessoas. Entre todos os seres vivos da terra, somente o ser humano desenvolve a linguagem, usando-a para manifestar seus pensamentos, necessidades, sentimentos, conhecimentos.

A linguagem pode ser expressada de várias maneiras: oral (fala), escrita, língua de sinais, gestos, desenhos, entre outras maneiras que comunicamos aquilo que sentimos e queremos. A linguagem é fundamental para o ser humano, pois é através dela que desenvolvemos faculdades cognitivas, ou seja, dependemos dela para desenvolver as diferentes inteligências. Sendo assim, a linguagem proporciona a socialização e resolução de conflitos, e essas relações que definem nosso comportamento. O meio de linguagem mais utilizado é a linguagem oral, através da fala.

Linguagem Oral

linguagem oral

A linguagem oral é algo inato do ser humano, porém necessita de estímulos para que essa seja desenvolvida. Geralmente, ocorre de forma natural, o bebê escuta os pais falarem e ele começa a balbuciar, depois começa a falar palavras até formar frases e por fim, apresentar uma boa comunicação, transmitindo suas necessidades, ideias e sentimentos.

Entretanto, quando o bebê não tem uma boa audição, essa falta de estímulo auditivo acarreta em um atraso na linguagem, outros transtornos neurológicos também podem dificultar o desenvolvimento da fala.

Ressalto a importância de vocês pais, estimularem seus filhos, conversando e brincando com eles, ajudando no processo de aquisição da linguagem. É importante observar a resposta aos estímulos, pois quanto mais cedo descoberta alguma dificuldade, melhor o prognóstico da criança.

Desenvolvimento da Linguagem

Desenvolvimento da linguagem

Os primeiros anos de vida de uma criança, são os mais importantes para o desenvolvimento da linguagem, um dos principais marcos é quando a criança começa a falar. Esse desenvolvimento da linguagem, se dá por meio de interações com os adultos, durante a gestação já pode ser estimulado (com histórias, músicas, conversas), e ao nascimento esse processo linguístico se torna mais intensivo, no qual o bebê começa a interagir com o adulto. As etapas do desenvolvimento da linguagem são:

1 a 3 meses:

  • O bebê começa a prestar atenção aos sons e se acalma com a voz da mãe.
  • Chora, faz alguns sons, dá gargalhadas;
  • Observa o rosto, sorri quando alguém fala com ele;
  • Inicia as vocalizações não linguísticas (sons guturais e repetições de vogais);
  • Com o movimento dos olhos procura a fonte sonora.

 3 a 6 meses:

  • Procura de onde vem o som, começa a voltar a cabeça em direção a um som lateral próximo;
  • Para de chorar ao ouvir uma música.
  • Grita, faz sons (vocalizações) como se estivesse conversando, adquirindo algumas características da linguagem: entonação, ritmo e inicia a modulação de ressonância;
  • Inicia a fase da lalação, quando a criança sente prazer em balbuciar, brincando com a fonação.

7 a 9 meses:

  • Encontra de qual lado vem o som e responde quando é chamado;
  • Inicia a pré-conversação: no qual, a criança vocaliza principalmente entre os intervalos que são deixados livre pelo adulto e encurta suas vocalizações para receber a reposta do adulto, como forma de manter um diálogo.
  • Repete alguns sons para escutá-los, brincando com os sons que emite;
  • Começa com o balbucio diferenciado, com repetições de diferentes sílabas, pois nessa fase há um aumento das combinações de vogais e consoantes.

9 a 12 meses:

  • Começa a usar gestos e apontar, combinando sons e gestos para transmitir o que deseja;
  • Produz sons onomatopéicos (“miau”, “muu”, “auau”)
  • Imita a ação de outra pessoa.
  • Reage quando a mãe fala “não”, parando o que estava fazendo;
  • Vocaliza quando ouve música.
  • Repete sons emitidos pelos outros e atende aos comandos simples acompanhados por gestos: “joga beijo”, “dá tchau”.
  • Começa a falar as primeiras palavras (“mamã”, “papá”, “dá”) e algumas palavras ininteligíveis, mostrando atento as situações de comunicação e apresentando a intenção de se comunicar;
  • Compreende o significado de palavras familiares

12 a 18 meses:

  • Pede as coisas usando uma palavra e já sabe falar umas 20 palavras.
  • Surgem as primeiras palavras funcionais, que trazem um significado, fazendo um prolongamento desse significado, por exemplo: chamando todos os animais de “cachorro”;
  • Compreende verbos que representam ações concretas como: “acabou”, “quer”;
  • Aumenta a quantidade de palavras que ela compreende;
  • Gosta de ouvir e cantar músicas;
  • Começa a nomear objetos e repetir palavras familiares;
  • Identifica as partes do corpo;
  • Usa palavra-frase, respondendo com uma palavra um enunciado completo e inicia a combinação de mais palavras para expressar algo.

18 a 24 meses:

  • Começa a falar frases curtas, com duas a três palavras;
  • Pergunta o nome dos objetos;
  • Nomeia figuras;
  • Quando lhe contam histórias, presta atenção e compreende o que está ouvindo;
  • Usa o nome próprio;
  • Há um aumento no vocabulário, com a aquisição de novas palavras e com dois anos já fala em média 200 palavras.

2 a 3 anos:

  • É possível entender tudo o que a criança fala, mas ás vezes ela conjuga errado.
  • Conhece e aponta para as cores primárias.
  • Identifica objetos familiares pelo nome e uso e já aponta para a figura de um objeto descrito por seu uso.
  • Combina e assimila objetos semelhantes;
  • Nomeia ações representadas por figuras;
  • Compreende as perguntas: “onde”, “como”; e pergunta “o que”?;
  • Consegue repetir partes de uma história que lhe foi contada;
  • Produz frases com quatro a cinco palavras, usando verbos, preposições, adjetivos e advérbios de lugar.
  • Por um curto período, inicia e mantem um diálogo;
  • Aprende a falar “eu”;
  • Canta músicas infantis.

 4 anos:

  • Inventa histórias e fala situações da sua imaginação.
  • Compreende regras de jogos simples;
  • Elabora frases com mais complexas com 5 a 6 palavras;
  • Narra uma história conhecida;
  • Reconhece as cores e formas geométricas
  • Já sabe falar quase todos os fonemas corretamente.
  • Começa a adquirir algumas habilidades da linguagem escrita.

Concluindo:

É muito importante ficar atento para as etapas do desenvolvimento da linguagem do seu filho, pois se ele não consegue acompanhar, pode ser que ele tenha alguma alteração (como da audição) ou mesmo pouco estímulo para que essa linguagem não tenha se desenvolvido. Quando você perceber isso, procure um fonoaudiólogo, pois cada criança tem seu tempo, mas tem um limite de tempo para cada etapa e o fonoaudiólogo pode ajudar nesse momento e lhe orientar qual é a melhor maneira de você lidar com o seu filho.

Lembre-se de que você é umas das primeiras pessoas que interage com seu filho, então:

  • Sempre converse com ele;
  • Fale corretamente;
  • Não invente palavras para nomear objetos;
  • Não infantilize a fala dele;
  • Quando ele aponta ou faz gestos sobre algo que ele quer, nomeie e estimule para que ele fale.

Sugestão de filme: Helen Keller e o milagre de Anne Sulivan, baseado na vida real de Helen Adams Keller. Conta como ela adquiriu a linguagem apesar da deficiência sensorial. Helen perdeu seus sentidos de visão e audição ainda de criança e a aquisição da linguagem foi através da sensibilidade cinestésica Apesar da dificuldade tornou-se uma célebre escritora, filósofa e conferencista.

Referências:

– Conselho Federal de Fonoaudiologia: www.fonoaudiologia.org.br

-Cardoso, T. L.; Desenvolvimento da Linguagem; São Paulo, 2003: www.profala.com

– Equipe Cultura; Estimulação Precoce: Inteligência emocional e cognitiva; ed. Vergara Brasil; São Paulo.

– Prefeitura de Bauru; EaD PMB Aprendizado Inteligente. Briografia Helen Keller:http://ead.bauru.sp.gov.br/efront/www/content/lessons/22/biografia%20HELEN%20KELLER.pdf.

 

Bacharel em Fonoaudiologia pela UFSC
Cursando Pós-graduação em Neuropsicopedagogia clínica pela UNILAS




Comente