Carros 3 – Lições de vida que seu filho pode aprender

Carros lançou o seu terceiro filme e o Cauê esperava assistir ansiosamente por ele desde que foi anunciado que teria o filme. Quando viu o trailer mal podia esperar por julho/2017. Carros três tem novos personagens: o filme é muito emocionante e também muito divertido.

Sinopse do filme: Ofuscado por uma nova geração de pilotos da Copa Piston, Relâmpago McQueen encontra-se repentinamente empurrado para fora do esporte que ele ama. Para voltar ao topo, ele precisará da ajuda de uma jovem técnica de corrida, inspirada no fabuloso Hudson Hornet e orientado por alguns velhos amigos ao longo do caminho.

Cauê e eu fomos ao cinema assistir. Saí de lá com vontade de assistir ao filme mais umas 10 vezes (o que provavelmente vai acabar acontecendo depois que estiver no Netflix!). Vou tentar não trazer spoilers para quem não assistiu ainda. Quero mostrar para vocês que seus filhos podem aprender 11 lições ao assistir Carros 3:

Valorizar aqueles que acreditaram em você

O carro de corrida Relâmpago McQueen precisa relembrar velhos valores do seu treinador Hudson Hornet. O apoio da Sally e toda Radiator Springs fizeram com que ele acreditasse em seu potencial.

Saber reconhecer que algumas pessoas foram determinantes para o seu bom desempenho é um valor que McQueen passa para as crianças. Que muitas vezes elas vão se sentir para baixo e desanimadas, mas alguém acredita nelas, no seu potencial e por isso elas podem tentar novamente.

Não tema o fracasso, enquanto você ainda pode tentar

Fracassar faz parte da vida. Aprender a caminhar, a andar de bicicleta são etapas da vida que aprendemos a lidar com o fracasso. Aprendemos a encarar ele e tentar novamente. Fracassar não quer dizer que você precise parar, mas sim que precisa desenvolver resiliência, tomar fôlego e tentar novamente.

Tentar alguma coisa nova

Vivemos em um mundo em constante mudança. Inovação tem sido a palavra utilizada para muitas situações, comerciais e não. No Google a palavra “inovação” é encontrada 33 milhões de vezes. Às vezes a vida nos leva por caminhos que não sabemos se devemos ir ou não. Nunca estivemos ali. E agora? Novamente entra a resiliência e a capacidade de adaptação às mudanças. Encarar novos desafio, inovar, tentar alguma coisa diferente!

Talvez você descubra habilidades que nem imagina que teria! 😀

É inútil resistir às mudanças

As mudanças acontecem, quer a gente queira ou não. Lembro de quando saímos de Joinville e viemos morar em Jaraguá do Sul. Jaraguá fica a 60 km de Joinville e mesmo assim é uma cidade muito diferente. O ritmo e o custo de vida, as pessoas, a cultura, as amizades. Apesar de ter sido uma escolha do casal, o Cauê sentiu falta dos amigos e da escola. Mas se adaptou.

Quando as mudanças acontecem, quanto mais rápido você se adaptar a elas, melhor para você. Isso também vale para o trabalho, se a gente for analisar, não é mesmo?

Precisamos ensinar a se adaptar às mudanças. Prepará-los para encará-las.

Na escola em que o Cauê estuda, tem duas turmas da série dele e é prática da escola fazer uma miscigenação entre as turmas. Eu não gosto muito disso, de verdade. Mas ao mesmo tempo é a conduta da escola, temos que nos adaptar a ela. Então, no fim do ano passado e durante todo período de férias, fomos trabalhando e conversando com o Cauê – nova professora, novos amigos, imaginando quem estaria na sala dele. Ele citou três amigos que ele gostaria que ficassem na turma dele e nenhum deles ficou.

Ele ficou triste, mas fez novas amizades e ficou feliz com elas. Com a outra turma se encontra no intervalo, no futsal e também no xadrez. Eles mantêm contato, até porque no outro ano, haverá mudanças novamente.

McQueen, em Carros 3, tem que se adaptar com a mudança que está acontecendo na Copa Pistão. Novos carros, mais modernos, mais velozes e mais tecnológicos. A trajetória do filme mostra que as mudanças acontecem, assim como as estações do ano, uma hora é primavera, verão, mas na vida também teremos o outono e o inverno. Precisamos estar preparados para essas estações da vida.

Persistência

Para nos tornar bons em alguma coisa, é preciso paciência e persistência. Persistência mediante ao fracasso de não atingir um alvo. Persistência para encarar novas situações que serão desafiadoras. Persistência na impaciência – quem nunca se sentiu impaciente em alcançar logo uma coisa e mesmo assim tem que esperar e persistir para conquistar?

Persistência é diferente de teimosia. É ter consciência que aquilo é possível, porque você sabe fazer determinada coisa. Sabe fazer muito bem! Com persistência outros perceberão aquilo que você faz bem também!

Paciência

Paciência não é uma virtude que as crianças gostam de exercitar. Normalmente elas querem tudo para AGORA! No filme Carros 3, o Relâmpago McQueen não quer ser muito paciente e se dá mal por isso. À medida que vai transcorrendo o filme ele vai evoluindo. Demonstrando paciência em alguns momentos cruciais.

Certamente as crianças podem aprender com ele a ter paciência! 😀

Sonhe

A personagem Cruz, a nova treinadora do McQueen em Carros 3, ouvia de sua mãe quando criança: “Sonhe baixo ou não sonhe”. O que nós falamos para o nossos filhos ficará armazenado na mente deles. O futuro deles, está nas nossas palavras de hoje!

Vamos falar e acreditar que eles podem fazer coisas que nós nem podemos imaginar. Vamos sonhar junto com eles, estimular sua curiosidade e permitir que eles sejam quem eles querem ser. Hoje talvez é um astronauta, amanhã dentista, ou quem sabe até um piloto. Quem somos nós para dizer o que eles não podem ser?

Não abra o casulo do seu filho, deixe ele se espremer dentro dele, para fortalecer as asas e voar!

Voltar às origens

Isso me chamou muito atenção. Voltar às origens é difícil hoje em dia. As pessoas estão preocupadas com o seu próprio umbigo ou de sair bem na foto para postar no Instagram que se esquecem dos verdadeiros valores.

Outro dia conversando com uma amiga, comentou que teve vontade de aprender crochê, a tia dela lhe ensinou e desde então ela pratica. Quando ela teve que cuidar de uma pessoa próxima no hospital, levou seu crochê para passar o tempo e duas pessoas mais de idade falaram que o que ela estava fazendo era coisa de vó!

Realmente muitas vovós ocupam seu tempo com artesanatos e porque as mulheres de hoje em dia não voltam às origens e aprendem a fazer esses trabalhados? Já pensou que legal ter coisas na sua casa que você mesma fez? Além de passar o tempo é produtivo.

Eu tenho alguns tapetes que fiz de crochê e como é legal! Vamos aproveitar o conhecimento dos mais velhos, eles têm muito a nos ensinar.

Seja honesto

Em Carros 3, a personagem Smokey diz a frase: “A verdade é uma reta curta” em um papo sem desvaneios com McQueen e Cruz. Infelizmente, o mundo tem se alimentado de pequenas mentiras. A honestidade está em extinção. Achar uma carteira e devolver para o dono é digno de matéria de jornal, oi?

Se queremos que os nossos filhos vivem em um mundo diferente, precisamos ensiná-los a serem diferentes. Uma frase bem antiga “A verdade as vezes dói, mas é melhor uma dura verdade do que uma doce mentira” deveria ser preservada e levada muito à sério.

Aproveitar as oportunidades quando elas surgirem

As oportunidades vêm e vão. Aquela estória de que mais vale um pássaro na mão do que dois voando, pode ser uma tremenda enrascada. Quantas oportunidades você deixou de investir por dúvidas ou por achar que era uma furada e o tempo passou e você se pegou pensando: “E se…”

A oportunidade tem que estar alinhada com o seu sonho e objetivo. O sonho do seu filho é ser arquiteto e você insiste em fazer testes para escolinhas de futebol profissional. Isso é miar o sonho do seu filho. Incentivar seria inscrever ele em uma aula de desenho, levar a museus e quem sabe até mesmo apresentar ele para um arquiteto. Comprar livro sobre o assunto e mostrar vídeos como “Mega Construções” do Discovery.

Quando surgir uma oportunidade para algo que vá contribuir para a realização do sonho do seu filho, incentive-o a acreditar nela.

Deixe um legado

Uma das definições de legado é: “ente querido, bem ou missão confiada a alguém por pessoa que está a ponto de morrer. O que é transmitido às gerações que se seguem.” Doc Hudson deixou isso para o McQueen e agora ele teria a oportunidade de perpetuar o que seu mestre lhe ensinou no Carros 3.

Quando achou que tudo estava acabado, descobriu uma maneira de continuar sendo competitivo. Não olhando para si mesmo, mas para a Cruz, sua treinadora.

Deixar um legado vai muito além de dinheiro e bens materiais. Pelo menos eu espero ser lembrada de outra forma pelos meus filhos. Alguém que lhes ajudou, incentivou, amou e brincou. Uma mãe presente, na angústia e na alegria. Não quero ser deixada consumir simplesmente pelos meus dias, quero poder valorizar cada minuto da vida com eles.

Carros 3 tem preciosas lições que podemos levar para a vida inteira.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!