Como melhorar a alimentação dos filhos?

Quando o assunto é alimentação dos filhos precisamos ficar atenta a variedade de ofertas que existem. Hoje a alimentação está industrializada, pronta, rápida com o intuito de facilitar a nossa vida de mães e donas de casa. Não é sempre que temos tempo de preparar o alimento das crianças com tranquilidade, não é mesmo?

 

A mídia está “vendendo” a ideia de alimentação dos filhos que eles têm como ideal, ou melhor, que pagam melhor. Biscoitos “vitaminados”, cereais “ricos em fibras” que vão dar mais energia para praticar esportes radicais e salgadinhos com um barulho irresistível para comer um só.

 

Em 2010, a Organização Mundial da Saúde, recomendou a reduzir o tempo em que as crianças eram expostas a publicidade de alimentos, principalmente os que são direcionados para elas. Isso porque as campanhas de marketing são planejadas de forma a atrair e fidelizar as crianças para determinada marca desde a infância.

 

Eles constataram que a exposição das crianças perante a propagandas de alimentos não saudáveis tem feito o consumo dos mesmos aumentar. Como esse tipo de alimento não tem valor nutricional significativo para a saúde, os índices de obesidade infantil também aumentaram por consequência.

 

A ANVISA de olho na alimentação das crianças

propaganda alimentação ruim

A partir de estudos foi criada a regulamentação, a partir da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Ela  impõe que as publicidades de bebidas ou alimentos que têm quantidades elevadas de açúcar, sal ou gordura deveriam apresentar frases de alertas sobre o perigo do consumo excessivo desses produtos. Por exemplo:

  • Açúcar: “O (marca comercial do alimento) contém muito açúcar e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de obesidade e de cárie dentária”.
  • Gordura saturada: “O (marca comercial do alimento) contém muita gordura saturada e, se consumida em grande quantidade, aumenta o risco de diabetes e de doença do coração”
  • Gordura trans: “O (marca comercial do alimento) contém muita gordura trans e, se consumida em grande quantidade, aumenta o risco de doenças do coração”.
  • Sal (sódio): “O (marca comercial do alimento) contém muito sódio e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de pressão alta e de doenças do coração”.

Como  melhorar a alimentação dos filhos?

propaganda de alimentos pra criança é proibido

Perante essas notícias, não podemos ficar de braços cruzados e permitir que a indústria alimentícia continue intoxicando nossos filhos com os alimentos de baixa qualidade. Além de tomarmos uma postura na qual reduzimos e paramos de comprar esse tipo de produtos, podemos tomar uma atitude que vai além.

Existe uma petição no site Alimentação saudável para que haja modificação na rotulagem dos produtos que contém esses nutrientes de baixa qualidade que visa:

Rotulagem Nutricional Frontal de Advertência

Alimentos ultraprocessados: como salgadinhos, refrigerantes, sucos e cereais adoçados, sopas prontas e macarrões instantâneos, biscoitos e doces, hambúrguer, salsicha, nuggets, entre diversos outros, receberão selos de advertência na parte da frente da embalagem quando houver excesso de açúcar, sódio, gorduras totais e saturadas.

Se tem selo, não tem publicidade

Alimentos que receberem o selo estarão proibidos de fazer qualquer tipo de comunicação direcionada a  crianças. Também não poderão ter frases do tipo “rico em fibras” e “0% gordura trans”, que podem iludir os consumidores.

Ingredientes culinários

As embalagens de sal, açúcar, manteiga, azeites, óleos de soja, milho, girassol e outros, que são ingredientes culinários usados para preparar alimentos, deverão ter frase de advertência informando que devem ser utilizados em quantidade moderada.

Textos legíveis

A leitura será facilitada com letra em tamanho mínimo, tipografia específica e fundo branco para garantir mais contraste.

Porções reais e comparáveis

As informações nutricionais de um produto deverão ser apresentadas por 100g ou por embalagem total, o que facilita a comparação.

Lista de Ingredientes mais visível

Para indicar o grau de processamento de um alimento, o número total de ingredientes deverá estar claro no título da lista, em fonte legível e padronizada. O espaço será adequado e trará a junção de ingredientes similares

10 Passos para melhorar a alimentação dos filhos

passos para melhorar a alimentação dos filhos

Além de lutar pela causa através da petição, exigindo que seja mais clara as publicidades e rotulagem dos produtos. É importante tomar outras medidas como formas de prevenir a obesidade infantil e melhorar a qualidade nutricional na alimentação dos filhos.

Segue 10 dicas de como melhorar a alimentação dos filhos, como consequência a alimentação da família toda!

 

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação;
  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias;
  3. Limitar o consumo de alimentos processados, por exemplo: frutas em calda e sardinha e atum enlatados;
  4. Evitar o consumo de alimentos ultra processados, por exemplo: Refrigerantes e macarrão instantâneos, etc;
  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia;
  6. Fazer compras em locais que ofereçam variedades de alimentos in natura ou minimamente processados;
  7. Convidar os filhos para exercitar uma alimentação mais saudável e até incluir eles na hora de fazer os alimentos;
  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece;
  9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora;
  10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.

 

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!