Exterogestação – Você sabe o que é e como funciona?

A teoria da exterogestação foi criada pelo antropólogo Ashley Montagu, mas foi amplamente difundida pelo pediatra Harvey Karp, que chama esse período de quarto trimestre. Quando você pensa em um quarto trimestre de gestação, quer dizer que ainda tem algumas coisas que precisam ser desenvolvidas no bebê.

Porque exterogestação?

Biologicamente, o ser humano é o mamífero que tem o maior cérebro e que ele depende de se desenvolver por completo. Mas como o nascimento natural é por via vaginal, se o bebê ficasse na barriga da mãe para desenvolver completamente seu cérebro, ele não passaria.

A teoria da exterogestação contribui para que o bebê tenha o amadurecimento emocional e físico para começar sua vida de exploração do ambiente. Diferente do bezerro, girafa ou elefante; o ser humano não nasce e sai andando e totalmente capaz de conseguir seu alimento. O bebê humano nasce totalmente dependente da mãe, tanto de alimento quando de amor e segurança.

O bebê ainda não tem capacidade motora e sua visão ainda é bem embaçada, ele ainda nem sequer sustenta sua cabeça. Portanto, necessita de total apoio e compreensão dos pais. Tirando a amamentação do bebê, o pai é convidado a participar e praticar todas as outras técnicas da teoria gestação.

Entender isso é fundamental para que seja praticada a teoria do quarto trimestre de gestação. Sem entender isso, não fará sentido você utilizar o sling ou shhhh para acalmar seu bebê.

Como praticar a teoria da exterogestação?

Esse quarto trimestre da gestação é conhecido como a época do colo. Nesse lugar aconchegante é como o bebê recebe o seu alimento e também costuma se sentir seguro.

Sling

sling exterogestação

É muito comum ver mulheres utilizando os carregadores de bebê como o sling, para que o bebê se sinta próximo da mãe e ao mesmo tempo ela tenha autonomia para fazer suas atividades em casa. Os bebês simplesmente amam e casualmente acabam dormindo no colo.

Como por instinto, somos impelidas a fazer “shhhhhh” como forma de dizer para o bebê que está “tudo bem! Você está seguro e eu estou aqui”. Cientificamente falando, dentro da barriga da mãe, o bebê era acostumado a ouvir o fluxo sanguíneo, nossos intestinos e estômago trabalhando. O fato de fazermos “Shhhhh” para o bebê acalmar é que ele lembra de como era o sons dentro da barriga da mãe.

Além disso, o sling proporciona que o bebê fique próximo ao coração da mãe, ouvir esse barulhinho, faz com que ele se acalme. Também, simula sua vida no útero, porque a mãe caminhava e fazia suas atividades normais e assim continua sendo para ele quando está sendo carregado para lá e para cá depois que nasce.

Ôfuro para bebês

banho ofuro para bebês - exterogestação

Muitas pessoas falam como sendo banho de ôfuro. Mas na verdade, o ôfuro para bebês não deve ser utilizado para dar banho. Ele serve para ajudar o bebê a relaxar, pois o lembra como era ficar em um ambiente menor, com água quentinha – o útero da mamãe.

Essa técnica pode ser utilizada todos os dias, mas não muito próximo às horas das refeições. Pode ser feito todos os dias, por um período de 20 minutos. A agua deve estar numa temperatura confortável para o bebê, nem muito quente e nem muito fria.

Shantala

É uma técnica de massagem que ajuda o bebê a relaxar. Existem vários vídeos e cursos para você aprender essa técnica. Ela estimula o amadurecimento do bebê, principalmente do intestino. A experiência do toque é fundamental para que o bebê se sinta amado.

Amamentação livre demanda

amamentação - exterogestação

 

Nos primeiros meses, o bebê ainda está aprendendo seu ritmo. Não é regra que você só deve dar de mamar de 3h em 3h. É a mesma coisa que dizer que todos os bebês são iguais. Alguns bebês tem necessidade de se alimentar mais que outros. A amamentação é a maneira que ele vai receber os nutrientes necessários para o seu crescimento, desde o colostro até o leite mais gordo é importante todas as fases do leite.

A criação com apego como filosofia

criação por apego familia

Não é tentar recriar o mesmo ambiente que a criança tinha do útero. É mais o fato de compreender e ajuda-la a ter essa transição de um ambiente para outro com mais tranquilidade e segurança que possa ter.

A mãe e o bebês são os que acabam se envolvendo mais com esse processo da exterogestação, mas nada impede que o pai também carregue o bebê no sling ou esteja conversando com ele durante o ôfuro e/ou shantala.

Enquanto o recém-nascido se familiariza com a voz, o colo e o cheiro da mãe, ela entende quantas horas ele precisa dormir por dia, quantas vezes faz cocô, a que horas precisa mamar, etc.

Embora exija um pouco mais de paciência dos pais, é essencial respeitar o ritmo do bebê sem impor regras. Ele vai se adaptar ao novo mundo, mas dentro do seu próprio tempo e de acordo com as suas necessidades.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!
Comente