Desmame sem traumas e sem culpa

Quando o bebê nasce temos aquela expectativa com relação à amamentação. Passamos por bons bocados para conseguir amamentar, muitas vezes por dores e rachaduras. Noites mal dormidas por conta das várias mamadas e temos a recompensa, seis exclusivos meses de aleitamento materno. Fácil? Nenhum pouco! Mas nos sentimos vitoriosas, o tempo vai passando e temos que encarar a realidade, o desmame é inevitável. Para umas mais cedo que outras, mas como fazer um desmame sem traumas? É sobre isso que quero abordar nesse texto!

A volta ao trabalho e a sensação de abandono

Infelizmente na realidade e legislação brasileira, sabemos que nem todas as mães conseguem amamentar exclusivamente até os seis meses. Infelizmente são obrigadas a introduzirem alimentos por volta dos três ou quatro meses, antes que sua licença-maternidade expire para que possam deixar o bebê na creche. Muitas creches para recebem o bebê precisam ter certeza que ele está iniciando a introdução alimentar complementar e/ou toma mamadeira com leite artificial.

Muitas mães têm medo que o fato de voltarem a trabalhar e não amamentar constantemente o seu filho, eles se sintam abandonados. Isso gera uma culpa muito grande nelas. A mãe para ter uma amamentação bem-sucedida precisa estar tranquila e a culpa não vai te deixar assim.

Tenha consciência que o desmame até pode acontecer, mas que você vai lutar para que ele não aconteça tão cedo. Prepare-se psicologicamente para essa fase. Retire o leite materno no trabalho para manter sua produção, e mesmo se você não ofertar para o seu bebê, doe à um banco de leite humano.

Antes e depois do trabalho ofereça o seu peito para ele livremente. Procure incentivar que ele fique um bom tempo sugando para continuar estimulando a descida do leite. Mas se mantenha pé no chão, uma hora o desmame vai acontecer e você não precisa se sentir culpada por conta disso.

Medo de perder o vínculo com o bebê

desmame conduzido

Muitas mulheres têm receio com relação ao desmame pois consideram o maior vínculo entre mãe e bebê. Talvez ele seja um grande elo, sim. Com um peso considerável. Contudo, há outros meios de estreitar o vínculo e não necessariamente você irá perder o vínculo com o seu bebê. O maior vínculo que pode existir entre mãe e filho é o amor. Nada supere ou abafa esse sentimento tão profundo e intenso.

Eu entendo que ninguém mais tem essa relação com ele. É algo exclusivo de vocês dois. É realmente um momento lindo. Mas o desmame só vai acontecer quando você estiver preparada também. Se você ainda se sente insegura, não é o melhor momento.

Desmame sem traumas é um processo gradativo

desmame sem traumas

É possível fazer um desmame sem traumas, sim. Chamamos isso de desmame conduzido. Ele é feito de forma passiva pela mãe que opta amamentar até que a criança decida parar de mamar, ou então de forma amorosa e conduzida pela mãe, vai adequando e limitando os horários das mamadas.

Por exemplo, você pode combinar com a criança que ela vai pode mamar antes de dormir e quando acordar. Depois você conduz para que seja apenas à noite. Até quando ver, você não vai mais estar amamentando ela.

Conversar com a criança é uma grande solução. Eles entendem tudo e se você explicar para eles, vão compreender. Talvez não na primeira ou na segunda vez, mas persista em conversar com seu filho, explicando que o leite da mamãe está acabando.

Não existe a maneira correta de fazer o desmame. Se você percebeu que não deu muito certo e que ainda não é a hora. Não tem problema. Você pode esperar um tempo a mais e tentar novamente. Afinal de contas, nunca vimos crianças de 20 anos mamando em suas mães, não é mesmo? Tenha paciência e tranquilidade, vai dar certo – no momento certo.

Aprenda que nem sempre que seu filho pede peito, ele realmente quer o peito. O peito é momento que ele utiliza como fuga e não apenas quando está com fome. Muitas vezes ele quer água, atenção, carinho, colo, brincar, estar perto de você. Antes de oferecer o peito, procure atender outras necessidades dele. A técnica de distrair pode ser interessante nesses momentos.

O mais importante de tudo é você lembrar que a criança está aprendendo a se virar sem o peito. Combine um local e um tempo determinado para a mamada com ela, e depois que terminar o tempo, convide-a para brincar. Esse é um novo hábito para ela, e por isso, pode levar alguns dias para a criança se acostumar.

Vocês consideram que seus filhos tiveram um desmame sem traumas? Qual foi o segredo de vocês? Conte sua experiência, lembre-se que a sua história pode inspirar a vida de outra mamãe!

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!