Recém-mãe e a amamentação

Em meio às conversas que tive nesses últimos tempos e também de um ao vivo resolvi falar um pouco sobre amamentação. Até faz um tempinho que eu mesma não falo sobre o assunto aqui. Esses dias a fonoaudióloga Caroline Krenke trouxe um artigo muito interessante explicando o passo-a-passo da amamentação. Ela explica à recém-mãe sobre a pega correta, melhor posição para amamentar entre outros aspectos ligados ao tema e que vale a pena você conferir.

Cadê o sistema materno de apoio para a recém-mãe?

1recem-nascido-chorando

Eu percebo que existe um grande incentivo do Ministério da Saúde com relação à conscientização à amamentação, incentivando como sendo o melhor para o bebê. Eu não tenho dúvidas que realmente seja o melhor para o bebê, pois contém todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento do bebê, água na quantidade ideal e ainda a “primeira vacina”, pois ali o bebê recebe os anticorpos da mamãe.

Contudo percebo que existe um grande incentivo também pela indústria de leites artificiais para que os mesmos sejam consumidos. Se não bastasse isso, às pessoas ao redor da recém-mãe estão a todo momento dizendo “esse bebê está chorando porque está com fome. Porque você não complementa?”

A recém-mãe, em toda sua insegurança, sente a real necessidade de complementar. Ela realmente começa a acreditar que o bebê está chorando por fome. Até porque quando coloca no peito o bebê fica tranquilo enquanto mama.

Ao mesmo tempo, admiro mães como a Suellen que relatou a amamentação da Esther, com uma incrível disposição, apesar de toda dor que sentia em persistir na amamentação. Procurou uma consultora e com o apoio da fonoaudióloga conseguiu amamentar e ainda amamenta a pequena Esther.

Você é pior mãe porque não consegue amamentar?

AMAMENTAÇÃO-3

Muitas sonham em conseguir amamentar. Eu também quis muito amamentar e consegui. Mas hoje tenho plena convicção, que ao oferecer mamadeira e bico, os meus filhos desmamaram mais rápidos. Mas naquele momento eu realmente achei a melhor alternativa. Não tive instrução de ninguém e também não procurei. Hoje, depois de muito mais conhecimento adquirido, penso que poderia ter sido diferente. Contudo naquele momento, era o melhor que eu poderia ter feito por eles e por nossa família.

Imagino que tenham muitas mães que carregam esse “peso” de não serem melhores mães por não conseguirem amamentar. Talvez muitas nem comentem esse fato, por parecer bobiça da cabeça, mas lá no fundo, elas pensam.

Não, você não é pior mãe por não conseguir amamentar seu filho. Não permita que nenhuma mulher te diga isso. Tenha plena convicção que você faz o que é melhor para seu filho. Ninguém está na sua pele para poder apontar o dedo para te criticar. Mas também ninguém pode te impedir de adquirir mais conhecimento, buscar auxilio para que você consiga amamentar o seu filho, se esse for o seu desejo. Se inspire na história da Suellen e da Esther, procure grupos de apoio a amamentação, recorra ao banco de leite e tire suas dúvidas.

Você é sim a melhor mãe que seu filho poderia ter!

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente