Quando posso dar doce para o bebê?

Acredito que muitas mamães já devem ter se perguntado: quando posso dar doce para o bebê, hein? Queremos logo mostrar as coisas boas do mundo não é mesmo? Creio que quando se trata da alimentação do bebê é normal queremos saber quando poderemos dar água, sucos, papinhas doces e depois salgadas. Logo depois que o bebê já tem acesso a todas essas coisas, chega a hora do doce? Será mesmo?

Aconteceu aqui em casa

Outro dia comentei sobre a importância de uma alimentação saudável para a saúde, controle de peso e bem estar. Claro que aqui em casa nós procuramos tardar o conhecimento aos doces e frituras pelo tempo máximo que consegui. No primeiro aniversário do nosso filho, tinha todas as coisas gostosas, que são normais em uma festa de primeiro ano, contudo, nosso filho comeu mamão e pãozinho. Nosso filho é de dezembro.

Chegou a páscoa do ano seguinte, e aí? Fiquei naquela expectativa. Os doces vieram, mas quem comeu foram os pais. Ainda achei cedo… hihi, afinal de contas, ele só estava com um ano e meio.

No aniversário do segundo ano ele descobriu a comida preferida dele: Bolo de Chocolate ou Nega Maluca para alguns. 🙂 Não teve como escapar. Desde então, come bolo de chocolate. Depois dos três anos de idade, meu marido apresentou o brigadeiro à ele.

Com a Catarina foi um pouco mais complicado. Ela é uma Magali, come tudo que vê pela frente e principalmente quando o irmão está por perto. Mas mesmo assim, conseguimos nas reuniões sociais desviar o olhar dela dos doces e dos bolos para algo mais saudável. Brigadeiro ela conheceu com dois anos, mesmo assim foi antes do Cauê.

Na primeira Páscoa dela, ganhou biscoitos integrais e um livrinho de coelho. A gente tem que tentar desviar algumas circunstâncias, nem sempre é possível. Mas quanto mais tarde o contato deles com o doce, melhor para a saúde deles. Continua lendo que você vai entender porque!

Quando inicia a introdução alimentar?

Os especialistas defendem que até os seis meses, o leite materno é todo alimento que o bebê necessita. Todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento e crescimento saudável do bebê está presente ali. O leite humano é rico em vitaminas, mineiras, proteínas e gordura. O bebê que mama no peito recebe anticorpos da mãe e por isso seu sistema imunológico tende a ser mais forte.

A partir dos seis meses de vida, inicia-se a introdução de alimentos sólidos para o bebê. A primeira pessoa que irá te instruir com relação a esse inicio será o pediatra. Mas recomendo você buscar auxílio de uma nutricionista especializada em bebês, pois ela poderá te recomendar os melhores alimentos para começar a introdução de sólidos.

Nessa primeira consulta com a nutricionista, ela poderá te explicar com relação aos tipos de alimentos: carboidratos, proteínas e gorduras. Como oferecer esses grupos de alimentos diferentes para o bebê. Também poderá te direcionar a iniciar com frutas ou legumes pré-cozidos sem sal e os sucos. Nessa fase os bebês podem começar a ingerir água e chás. Até nessa consulta, você já pode perguntar quando poderá oferecer doce para o bebê! E principalmente explicar quais doces você quer dar.

O intestino do bebê  passará por adaptação então o cocô terá um aspecto diferenciado, mais consistente e sólido. Às vezes os bebês costumam a evacuar de uma a três vezes por dia, outros apenas uma vez a cada dia dia. É importante você descrever a frequência do #2 para a nutricionista, para que ela também adapte a alimentação dele para que o intestino funcione direitinho.

Quando posso dar doce para o bebê?

doce para a criança

A pergunta que não quer calar. Quando posso dar doce para o meu bebê?

Conforme vimos, os bebês normalmente iniciam com as frutas. Elas tem um açúcar próprio chamado frutose. Esse é o doce que o bebê precisa aprender a gostar. Quando você oferecer um abacate ou mamão, nada de colocar açúcar branco refinado e nem o mascavo orgânico. O seu bebê de seis meses tem um paladar puro e quanto mais tarde você iniciar a mostrar os refinados melhor para a saúde dele.

O doce para o bebê deveria ser apenas depois dos dois anos, pois até lá o bebê ainda está em formação de paladar. Se você der antes, vai acontecer que ele vai aprender a gostar. Igual a formiguinha, vai ficar querendo mais, chorando e pedindo mais.

Estudos apontam que o que você oferece para o bebê nos primeiros dois anos de vida, tem total influência sobre a sua predisposição genética para doenças como diabetes, obesidade, pressão alta e etc. Acredito que vale a pena cuidar muito bem da alimentação deles nesses primeiros anos. A saúde deles está em jogo.

Às vezes, os avós podem não entender porque não oferecer o doce para o bebê se é tão bom. Mas explicando com amor eles podem até não concordar, mas vão entender e respeitar.

Espero que vocês gostem e me contem o que vocês acham sobre o tema e principalmente: Quando começaram a iniciar o açúcar e bobiças na alimentação dos filhos de vocês?

Se você gostou das informações, compartilhe nas suas redes sociais! 🙂

 

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente