Dermatite de contato em crianças

Entre as alergias tópicas, ou seja, na pele, uma das mais frequentes é a dermatite de contato. Ela é uma espécie de alergia causada por contato com substâncias que a criança tenha alguma sensibilidade e isso lhe causa irritação. Esse incômodo poderá se manifestar através de bolinhas, vermelhidão, inchaço, erupções semelhantes a espinhas e também coceira na área de contato e irritada.

A alergia pode ser desencadeada devido ao uso de produtos químicos como amaciantes, sabão em pó, lenços umedecidos, fraldas descartáveis e muitos outros fatores. A dermatite de contato causa irritação e coceira, sendo esses um dos fatores dominantes para a piora do quadro clínico.

Dermatite de contato de fraldas

dermatite de contato

A dermatite de contato também pode ser originária do uso de fraldas descartáveis, sendo que as reações ficam restritas a área do uso das mesmas. Essa alergia surge devido as químicas utilizadas na fabricação do material, e mesmo que você troque de marca, é possível que ela permaneça. Nesse caso, vale a pena analisar o uso das fraldas de pano modernas, que por não terem produtos químicos na sua fabricação, poderão auxiliar no tratamento dessa dermatite.

O tratamento consiste na higienização correta do local, evitando lenços umedecidos. Utilizar o algodão com água morna e evitar o excesso de atrito do local, pois a pele já está bem sensível. O uso externo de pomada corticoide poderá ser indicado pelo pediatra e até mesmo antifúngicos e antibióticos, dependendo da gravidade do eczema.

Melhor maneira de prevenir é trocando a fralda com frequência, evitando que a criança fique molhada por muito tempo. Além do uso de pomadas protetoras e cremes para hidratação também podem ser indicados. Uma outra medida recomendada é dar banhos de sol, sem fraldas, para que a pele do bebê se fortaleça e cicatrize com mais rapidez.

Dermatite de contato do vaso sanitário

dermatite vaso sanitário

Estudo realizado pela Universidade Federal do Paraná entre 2010 e 2014, foi constatado que quem mais sofre com a dermatite de contato do vaso sanitário são as meninas, e que o tipo de vaso sanitário utilizado e os produtos de limpeza tem relação direta com o surgimento da alergia.

O tipo de vaso sanitário usado nas residências e relatado na primeira consulta foi o almofadado em 64,7%, plástico em 29,4% e madeira em 5,9%. Os produtos de limpeza inicialmente usados para higiene do vaso sanitário foram a água sanitária (79,4%), desinfetantes (14,7%) e sabão (5,9%). A maior parte das crianças (70,6%) despendia menos de 10 minutos sentada no vaso sanitário. ” Estudo realizado por Juliana Gomes Loyola Presa.

Os meus dois filhos sofrem dessa alergia. Uma das primeiras medidas tomadas foi o fato de retirar da limpeza do assento sanitário o uso da água sanitária. Hoje, lavo com detergente e enxaguo bem, e finalizo com álcool. Nas roupas, comecei a usar vinagre como amaciante. E vou trocar também o sabão em pó na lavagem das roupas dela.

Infelizmente a criança sofre bastante, pois como a pele fica mais seca e coça. A criança acaba cedendo inconsciente e coça a dermatite, ficando cada vez pior. O tratamento é indicado pelo pediatra e basicamente o mesmo da dermatite de contato de fraldas, com o uso de pomada corticoide e hidratação com creme sem álcool.

O vaso sanitário deve ser limpo apenas com álcool ou água oxigenada, segundo o Hopking Medical, pois são substâncias mais suaves para a pele. A higienização com esses produtos deve ser diária. Quando estiver fora de casa, na escola ou banheiros públicos, aconselha-se a forrar o assento com papel higiênico, evitando o contato direto da pele com o vaso sanitário e consequentemente, com os produtos utilizados para a limpeza.

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente