Amamentando o bebê – A realidade que não é dita!

Creio que o maior sonho de uma mãe é amamentar seu filho. Algumas pessoas dizem que é fácil e natural.  Mas existe uma grande diferença entre fácil e natural que não se é falada. Sim, seu corpo tem a possibilidade de fornecer o alimento ao bebê naturalmente. Contudo, para que você esteja amamentando com sucesso seu filho, muitas vezes é preciso pedir ajuda. Porque por mais que seu corpo produza os nutrientes necessários com seu filho, muitos desafios podem surgir nesse novo período.

O sucesso ou não de estar amamentando o seu filho

Há diversos fatores que influenciam no sucesso ou não da amamentação, vou citar alguns: tipo de bico do seio, como o bebê pega o peito, quanta dor você consegue suportar, sua disposição, entre outras coisas.

Existem três tipos de bicos, (isso era uma coisa que eu não sabia até começar a me informar sobre amamentação) o que mais dificulta a amamentação é o bico invertido. Algumas mulheres terão mais dificuldades, outras terão menos. Contudo, todas as mulheres são capazes de estar amamentando seus filhos. Umas irão precisar de mais ajuda e persistência enquanto outras, o bebê vai aprender a mamar rapidinho do jeito correto.

A maneira que seu bebê pega seu peito é importante. Ele deve abocanhar toda ou grande parte da auréola para mamar corretamente. Caso ele não faça isso, poderá apenas machucar o bico, será a mesma coisa que você beliscar e puxar.

Dessa maneira irão surgir fissuras que além de doer, irão dificultar ainda mais a amamentação. Se seu bebê insistir em pegar de forma incorreta, retire ele do peito colocando o dedo mindinho no canto da boca. Para daí você oferecer novamente o peito para que ele aprenda a pegar da forma correta.

A realidade de estar amamentando um bebê

amamentação do bebê

Amamentar não é indolor! Tudo bem que para algumas raras pessoas não dói, mas pra grande maioria causa certo desconforto.

Eu mesma no início achei estranho! Eu sei que muita também acharam isso, não é pecado ou incomum. Afinal de contas é algo novo, uma sensação nunca antes sentida daquela forma. E dependendo da fome da criança eles sugam com intensidade e é por isso que às vezes pode doer.

Um pensamento totalmente egoísta com relação a amamentação, se você quiser pular de parágrafo, tudo bem! Mas às vezes amamentar pode ser tedioso. Durante 30 minutos ficamos sentadas “fazendo nada” enquanto poderíamos estar fazendo diversas outras coisas, que principalmente envolve colocar a bagunça da casa em ordem.

E isso até parecia verdadeiro quando compreendi a grandeza da amamentação ao ler sobre a Lua de Leite! Deixou de ser tedioso e virou algo realmente incrível.

Sei que a maternidade consegue fazer grandes mudanças em nossas vidas, por isso eu disse antes que para amamentar é preciso disposição, você não está doando apenas o alimento, mas também amor, carinho, atenção, desprendimento. Amamentar é totalmente altruísta.

Hoje há uma pressão muito grande em cima da amamentação, sinceramente, já fui daquelas que levantava a bandeira, batia o pé e ficava abismada quando ouvia alguém falar que estava dando leite artificial pros seus filhos.

Já mudei minha concepção, hoje sou totalmente a favor da informação.

Não é pelo fato de ser natural que você não precise aprender, ler e assimilar conhecimentos, faz parte também. Quanto mais informada, consciente e preparada você estiver para estar amamentando seu filho, melhor será para vocês dois. Lembre-se surpresas sempre podem acontecem.

Texto criado em 02 de julho de 2013 e revisado em 10 de novembro de 2017.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

9 thoughts on “Amamentando o bebê – A realidade que não é dita!

  1. caroline myamoto says:

    Estou amamentando a cinco meses e no começo sentia muitas dores bolinhas de sangue se formaram no bico do meu seio eu chorava pq a dor era imensa arde e tudo mais, no hospital em q tive minha filha a enfermeira q cuidava de mim me disse o quanto q teria q me dedicar pois as dores iriam sumir apos alguns dias. Hj o q eu mais gosto de fazer eh amamentar minha princesa todos os esforços q tive valeram a pena pois ela eh uma garotinha super saudavel eh meio triste saber q um dia meu leite vai acabar ela vai crescer e nao vou mais dar de mamar para ela, pois amamentar eh a melhor sensação do mundo.

  2. Ministério da Saúde says:

    O leite materno é importante para todos os bebês, principalmente para os que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe. Toda mãe que amamenta é uma possível doadora de leite humano. Se você está amamentando, procure o banco de leite humano mais próximo e seja uma doadora. Seu gesto pode salvar vidas. Para você é leite. Para a criança é vida!
    Seja um Parceiro da Saúde: utilize o espaço do seu blog e divulgue informações. Entre em contato conosco pelo email: comunicacao@saude.gov.br
    Conheça o Blog da Saúde: http://www.blog.saude.gov.br e saiba mais. Ou acesse: http://on.fb.me/pzCiri
    Siga-nos no Twitter: http://www.twitter.com/minsaude
    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

  3. Daniela says:

    Eu achei o início opressor, difícil, doloroso, mas depois foi que foi! E foi tão mágico que me despedi da amamentação exclusiva, aos 6 meses, com tristeza! E com a certeza de que a amamentação continuará aqui, firme e forte, por muito tempo ainda!
    Beijos

  4. Bela says:

    Karin,

    Estou amamentando ha exatemente 15 dias e vou te falar, as dores que senti ao minha baby pegar no peito posso comparar com as dores de contracoes que senti no trabalho de parto acredita? Meus seios sangraram, criaram pus e casca depois, foram 7 dias de muito sofrimento, nao desisti pq tive muito apoio do meu esposo, e pessoas proximas, gracas a Deus.

    Hoje esta bem melhor, e ja consigo ate usar a bombinha durante os intervalos das mamadas..rs uhuuu

    Estou experimentando dar o leito na mamadeira agora para ver se diminuem as colicas…tadinha..

    Otimo texto.

    bjs

  5. Giselle Carvalho says:

    Oie!
    No inicio aqui tivemos problemas, o Henri so conseguiu mamar no peito depois de 7 dias de vida.
    Depois mamava sem parar…. Há duas semanas atrás meu leite evaporou, não sei pq???
    Pretendia amamentá-lo até mais tarde, mais pelo menos até o sexto mês foi.
    Muito bom texto

  6. Yasmin says:

    Aqui foi relativamente fácil. Alice mamou na primeira hora de vida e eu acho que isso foi fundamental para nós. Durante os 05 primeiros dias, meu peito machucou muito, cada vez que ela precisava mamar eu tinha vontade de chorar, mas eu nem cogitava a hipótese de LA, então aguentei firme.
    No 5º dia, uma consultora de amamentação – que também foi fundamental – veio em casa e me ensinou a colocá-la corretamente no seio. A partir daí, a dor sumiu como mágica e comecei a adorar esse nosso momento juntas. Adoro ver os olhinhos dela pra cima, me olhando enquanto mama.
    Mas a gente sabe que não é fácil, que nem sempre temos ajuda, paciência e compreensão dos outros…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *