Voltando pro berço

Entre idas e vindas, acho que desta vez é em definitivo. Não lembro bem como essa historia começou e também não lembro bem  o porquê, mas enfim, ela existiu.

Meu filho dormia num colchão de casal no chão, lá ele estava dormindo feliz, às vezes dormia a noite toda, às vezes não, melhor, a maioria das vezes não dormia a noite toda. Quando não dormia eu ia e deitava um pouquinho com ele e saía, uma vez por noite ainda vai, mas duas, três, acabava desistindo e ficava por ali mesmo.

Começou a ser uma tortura pra mim que não dormia direito, muitas vezes dormi a noite inteira numa mesma posição (já fizeram isso?), ele chegou a acordar de madrugada e chorar comigo ali do lado dele e eu perguntei: “Quer deitar no colo da mamãe?”, ele vinha e deitava em cima de mim, próximo ao coração, bem agarradinho, cuti-cuti demais, eu sei! Gostoso demais também. Mas duas vezes? Eu sei que é um momento cuti-cuti, mas imaginem aquela cabecinha forçando a sua garganta, você não conseguindo respirar e ainda pra ajudar numa péssima posição, e pior ainda, não ter como se mexer, porque você ama seu filho e quer deixar que ele durma o melhor possível.

Bem, eu amo demais meu pimpolho e por amá-lo assim e  saber que ele precisa ter uma ótima noite de sono para memorizar tudo que aprendeu, e que de preferência essa noite tenha em média 11 horas de sono corrido, foi que eu tomei a decisão de colocá-lo novamente no berço.

Restabeleci a rotina do sono dele: Pelas 18:30 que é o horário normal que ele faz cocô dou um banho com os produtos das Johnson & Johnson a Hora do Sono, depois disso posso até brincar com ele, mas são brincadeiras mais calmas como pintar ou brincar de massinha, evito jogar bola, por exemplo. Normalmente 19:30 faço a mamadeira dele e coloco ele no berço, meia luz, deito do lado do berço dele e fico cantando, trocamos beijinhos e ele deita e fica me ouvindo até pegar no sono.

Às vezes é simples como o relatado aqui e ele dorme em apenas 10 minutos, mas no começo era uma hora nessa. Se já aconteceu dele chorar enquanto eu faço ele dormir? Ahhh… isso já! Fica levantando os bracinhos e dizendo “mamãe”, me deixando de coração derretido dizendo “não, agora é hora de você dormir”. Ele já sabe, já aprendeu, às vezes desiste mais rápido e deita, às vezes não.

Na primeira semana, considero normal ele chorar de madrugada, não é nada fácil ouvi-lo chamando “mamãe”, fico com o coração apertado, mas espero bem quietinha porque sei que logo ele vai voltar a dormir.

Fácil? Não! É principalmente difícil sustentar essa decisão, morro de vontade de ir lá abraçar ele e dizer que “a mamãe está aqui”, mas não posso, sei que vou estragar a técnica, até porque sei que ele já está se acostumando a dormir sozinho e a noite toda, só é importante continuar no processo.

Vocês já tiveram alguma experiência parecida? Em algum momento tomaram alguma decisão que foi difícil e cortou o coração de vocês?

Beijos

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente