Viajando pelo mundo com Kelly

Oi meninas, toda sexta-feira aqui no blog, ou pelo menos sempre que possível minha correspondente internacional, mais conhecida por mim como minha irmã 🙂 do blog Poker na Cozinha estará trazendo dicas de viagens e destinos, aos poucos ela estará contando a experiência dela…. e o destino de hoje é Hungria… que eu confesso, fiquei morrendo de curiosidade pra conhecer… então vamos lá!!!

Chegamos no Leste Europeu

Um dos meus sonhos realizados foi conhecer a Europa e muito melhor foi poder conhecê-la juntinho do meu marido. Tem gente que gosta de se jogar de mochilão e realmente ta valendo qualquer experiência.

Independente de como seja a sua viagem, tem algumas coisas que você realmente deve prestar atenção, por exemplo:

  • Água – na Europa é o “zóio” da cara de verdade! Na rua, chega a custar até 5€ uma garrafinha de 600 ml. E como fazer pra resolver esse problema? Bom, nós fomos ao supermercado mais próximo e compramos água de 5 litros e a carregamos pra baixo e pra cima (estávamos de carro alugado). Assim foi em todos os países!
  • Idioma – se você não fala inglês, alemão ou afins, vai passar um perrengue (claro, que dependendo da região, pode ser português ou francês), mas no nosso caso era só inglês! Como já disse outra vez, não falo alemão por enquanto! Então esteja preparada pra enfrentar algumas dificuldades, com muita sorte você ache alguém pra auxiliar. Mímica ajuda, mas não resolve.
  • Malas – mulheres do meu Brasil… Levem as malas vazias, só com o necessário para os primeiros dias, porque na Hungria e na República Tcheca (até 2012) eles ainda estão nos velhos tempos com suas moedas locais desvalorizadas. Então queridas peloamordedeus, deixem pra encher as malas por lá e se necessário comprar mais umas (como eu fiz J hihihi). Sem falar dos Outlets de Praga!!! Se você vai zanzar pela Europa de trem, que é muito barato, nem pense em carregar 984 malas, apesar da boa infraestrutura dos transportes, os trens não tem bagageiro e os corredores são bem apertados e você não vai gostar de dividir um pequeno espaço com várias malas, certo? E mais uma coisa: se você vai se hospedar em albergues ou em apartamentos alugados, lembre-se que a maioria das construções na Europa são ‘preservadamente’ antigas e NÃO possuem elevador! Acredite que subir escadas inclinadas e apertadas com mega-malas é a pior coisa do mundo.
  • Tomadas – não são iguais viu! Se você estiver levando chapinha, babyliss, secador (não precisa, pois todo o hotel que se preze tem um), carregador de celular, note ou qualquer outra coisa que precise ser ligada na tomada, compre um adaptador que normalmente no free shop do avião vende.
  • Guardanapos! – pasmem, eles são bem econômicos nessa parte e em muitos lugares não disponibilizam mais que um por pessoa e se você é daquelas que se lambuza até comendo pão seco ou limpa a boca a cada mordida, vá no Mc Donald´s mais próximo e faça um estoque na sua bolsa de mão, vai ser bem útil, viu!
  • Euros e Dólares e moedas locais – leve os seus já comprados no Brasil o câmbio lá fora não é muito nosso amigo. Em qualquer lugar o turista é sempre explorado.

Na Hungria, compre seus Florins Húngaros no aeroporto e não fique sem o din-din local como nós ficamos :/  Desembarcamos com Euro e não nos preocupamos em trocar pra moeda local crentes que eles aceitariam. Vai nessa! Cartão de crédito, os poucos lugares que estavam abertos no horário que chegamos não aceitavam e os que aceitavam praticavam um câmbio absurdamente baixo, resultado, fomos no supermercado mais próximo, compramos água, várias e diversas cervejas, comidinhas e fomos pro hotel deixar nosso estoque preparado para os esquentas. A noite depois de um banho revigorante fomos passear e conhecer Budapeste! Amei de paixão e quando me convidarem pra voltar lá, já tenho uma mala pronta!!!

Próxima parada Eslováquia.

Beijos meninas

Kelly (http://pokernacozinha.blogspot.com)

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente