Trocando de médico no pré-natal

pre-natal04

 

Oiii…

 

Quem convive comigo acho que já está até cansado de ouvir mal sobre o médico ginecologista que tem me acompanhado no pré-natal. É pelo SUS, mas isso não é desculpa para não ser um profissional atencioso. Por exemplo, minha GO da antiga cidade era ótima, super atenciosa e preocupada. O meu filho mais velho fez todo acompanhamento com a pediatra do SUS e sempre foi bem atendido.

 

Tenho uma amiga que diz que grávida é um bicho ruim de agradar. Talvez ela até esteja com a razão… não sei! hihihi

 

Primeiro ponto negativo para mim foi que infelizmente passei por um princípio de aborto. Meu maior susto, porque na primeira não tive nenhuma complicação. Corri para a maternidade e o médico de lá fez o toque, disse que o colo do útero tava fechado, mas que mesmo assim era para eu usar o Ultragestan durante 30 dias e recomendou que eu fizesse uma ultrassom o mais rápido possível.

Fiz a US e a médica disse que estava tudo bem com a placenta e que não houve deslocamento. Entretanto, era para eu continuar cuidando e não fazer nenhum esforço físico por mais uns 30 dias. Tudo bem!

Após tudo isso, tenho minha consulta com o GO do posto de saúde. Entrego os exames, inclusive a US. Ele me pergunta porque uma US e se eu tive princípio de aborto. Falei que sim e que tava usando o remédio recomendado. Ele simplesmente mandou eu parar de usar. Não me explicou com calma o por quê ou me questionou como foi o sangramento. Nada!

Detalhe é que eu estava com quase 13 semanas… período crucial para fazer o exame de ultrassom com translucência nucal.

 

Na última consulta, ele fez a medicação do útero e ouviu o coraçãozinho do bebê e pronto. Terminou a consulta. Olhei para ele e perguntei se era só isso, se não iria fazer exames. Ele disse que não. Questionou sobre a próxima ultrassom, e ele falou que seria somente mais uma, mais no final da gravidez. Não crente, perguntei da US do segundo trimestre. Ele me questionou se eu queria fazer… Oi?

 

Resumindo… Estou feliz que ele não faz mais partos pelo SUS. Mas totalmente insegura de continuar sendo assistida por ele.

Conversando com meu marido, sogra e mãe… contando sobre esses episódios. Os três me aconselharam a trocar de especialista. É muito importante ter o apoio da sua família em um momento decisivo como esses. Dá muito mais segurança!

 

Porque realmente não tem nada pior que você não estar segura das informações e serviços prestados por uma pessoa. Principalmente em um momento tão importante da sua vida.

Na primeira gravidez não passei por isso. Na época o posto de saúde não tinha GO e eu não iria fazer o acompanhamento com a enfermeira. Fiz tudo particular e o parto na maternidade pública.

 

Afinal, depois de conhecer o caminho do bom atendimento, fica muito mais difícil tolerar alguns comportamentos.-

 

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!

Comente