Trabalho de parto?

Oi meninas,

Lembrando da gravidez, uma das coisa que creio que toda grávida pensa: Será que vou saber que entrei em trabalho de parto? Será que está na hora de ir pra maternidade?

São dúvidas e mais dúvidas que cercam nossas mentes, pensando nisso, resolvi colocar uma matéria que lia quase todo dia durante a minha gravidez e me ajudou muito a tirar as minhas dúvidas.

Os sintomas e as fases do trabalho de parto

O trabalho de parto tem início com três principais sintomas característicos:

  • a eliminação de uma secreção espessa com filetes de sangue, que é o tampão mucoso;
  • o rompimento da membrana que sustenta o líquido amniótico (a “bolsa d’água”);
  • as primeiras contrações (a barriga se contrai e podem surgir dores na região lombar e nas partes internas das coxas).

Este início do trabalho de parto ocorre ao ter início a dilatação do colo do útero, momento no qual o bebê já se prepara para sair. Esta dilatação possui três etapas importantes: Fase latente ou precoce, Fase ativa e Fase transacional.

– Fase latente ou precoce

Esta fase costuma ser a mais longa, mas menos intensa, com a dilatação do colo do útero podendo atingir até três centímetros. Durante toda sua duração manifestam-se as contrações (30 a 45 segundos por contração), as quais podem ser regulares ou não.

Dores nas costas, cólicas semelhantes às da menstruação, sensação de calor no abdômen e eliminação do tampão mucoso ou rompimento da “bolsa d’água” são alguns dos sintomas apresentados pelas gestantes.

Nesta hora, o melhor é relaxar. Faça uma boa higiene pessoal: tome um banho e faça uma depilação em toda a região genital. Uma dica para evitar alergias nesta área é usar a lâmina no sentido do crescimento do pêlo.

Comunique-se com seu médico e vá para o hospital.

– Fase ativa

Esta fase é mais intensa, mais ativa e mais breve do que a primeira, podendo durar em média de duas a quatro horas. As contrações se tornam mais intensas, prolongadas e freqüentes. Elas podem durar de 40 a 60 segundos, com intervalos de três a quatro minutos (a média é de três contrações a cada dez minutos); a dilatação do colo do útero pode chegar a sete centímetros.

Os exercícios respiratórios devem ser iniciados neste período. Três tipos de exercícios podem ser aplicados nesta hora:

  • soprar a vela – inspire, expire e “sopre a vela” repetidamente;
  • cãozinho – inspire, expire e respire superficialmente pela boca;
  • normal – inspire, expire e respire normalmente.

Quando as contrações se tornarem mais fortes, procure emitir sons como gemer, cantar, assoviar ou gritar. Emitir sons fortes induz à produção de hormônios semelhantes às endorfinas, que atuam como analgésicos internos e naturais, propiciando uma ligeira alteração do seu estado de consciência.

Procure uma posição gravitacional confortável, que permita a diminuição das contrações. A posição de cócoras permite que as articulações pélvicas (da bacia) atinjam uma maior abertura. Desta forma, a força da gravidade poderá atuar e as contrações terão maior energia no processo de expulsão do seu bebê. Experimente ficar de joelhos com os braços apoiados em uma cadeira. Esta posição permite a movimentação dos quadris e o descanso das pernas e da barriga.

– Fase transacional

É a fase mais intensa e desgastante do trabalho de parto. É o final da dilatação do colo do útero, estando o corpo quase totalmente preparado para o seu bebê nascer. A esta altura, a dilatação chega a 10 cm do colo.

As contrações podem durar de 60 a 90 segundos cada, com intervalos de dois a três minutos. Uma pressão involuntária, como se quisesse evacuar, pode acontecer. Nesta fase, o fluxo de oxigênio é desviado do cérebro para a região do parto. Por isso, muitas mulheres relatam sonolência no trabalho de parto.

Fonte: Hospital Geral

Espero que pras futuras mamães, esse post ajude nas dúvidas.

Beijos,

Karin

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!
Comente