Sobre o sono…de novo!

Estou lendo um livro demais de interessante: “ Filhos: novas idéias sobre educação”, um dos capítulos fala sobre o sono e a importância dele para o desenvolvimento das crianças, quero destacar aqui alguns tópicos que achei interessante:

  • “Elas não dormem menos, nem ficam sonolentas, – elas simplesmente dormem mais tarde nas noites de sexta-feira e sábados. Ainda assim, ela (Dra. Monique LeBourgeois) constatou que a simples mudança de horário pode afetar o desempenho das crianças em um teste padrão de QI. Os alunos perderam sete pontos no teste por cada hora adiada.”
  • “os distúrbios do sono pode afetar o quociente de inteligência infantil, tanto quanto a exposição do chumbo.”
  • “crianças cansadas não conseguem se lembrar do que acabaram de aprender, pois os neurônios perdem sua plasticidade, tornando-se incapazes de estabelecer novas conexões sinápticas, encarregadas de reter a memória.”
  • “O surpreendente não é que o sono é importante, mas o quanto ele é importante, comprovadamente, não apenas para o desempenho acadêmico e a estabilidade emocional, mas também para fenômenos que se julgava não terem nenhuma relação, como a epidemia mundial de obesidade e o aumento do transtorno do déficit de atenção.”
  • “O sono de uma criança é qualitativamente diferente do sono de um adulto, porque ela permanece mais de 40% do tempo que dorme na fase de ondas lentas – dez vezes mais do que o tempo desprendido por um adulto. É por isso que uma boa noite de sono é vital para uma aprendizagem que fixará na memória pro resto da vida dados como novo vocabulário, tabelas de multiplicação, datas históricas e outras informações minuciosas.”
  • “Na hora da manha, as crianças já deveriam estar dormindo, mas elas insistem em fazer outras atividades enquanto lutam contra o sono. Assim, o sono é encarado com uma filosofia popular que de certa forma não respeita sua devida importância: o que é uma horinha a mais pra quem já ficou acordado até agora?”
  • “O sono é uma necessidade biológica comum a todas as espécies. Nós humanos, simplesmente tentamos resistir o seu impulso. Em vez de enxergarmos o sono como uma necessidade física, o encaramos como traço de caráter. Admitir o cansaço é considerado sinal de fraqueza e recusar-se a sucumbir no sono indica força. Dormir é coisa de preguiçoso.”

Claro que o livro explica detalhadamente os motivos de todas as afirmações, baseado inclusive em várias pesquisas. Fiquei admirada com a importância do dormir bem, vai muito além de descansar o esqueleto, por isso decidi dedicar um pedacinho do blog para mostrar e transmitir essas valiosas informações para mais pais e mães.

Muitas vezes “enrolamos” nossos filhos mais alguns minutinhos para podermos aproveitá-los um pouco mais, fazemos isso na inocência, na cegueira sem saber o quanto estamos prejudicando o desenvolvimento e sua saúde. Esse capítulo termina com uma frase que quero deixar aqui para reflexão: “Mas quando colocamos em jogo o desenvolvimento do cérebro de uma criança será que estamos dispostos a enfrentar esses riscos com o mesmo atrevimento?

Bibliografia: Filhos: novas idéias sobre educação/Po Bronson & Ashley Merrymann; [Tradução Elenice-Araújo] – São Paulo – Lua de Papel, 2010.

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente