Saltos de desenvolvimento

O próprio nome já diz tudo Saltos de Desenvolvimento, é um momento. Uma fase que o bebê está passando por transição, amadurecendo, desenvolvendo novas habilidades. Como eles ainda não sabem lidar bem com essa mudança que está acontecendo com eles, expressam das poucas maneiras que eles conseguem, e por isso eles ficam mais chorosos, carentes (só querem a mãe), alguns ficam com dificuldade em dormir ou dormem mal, outros só querem colo.

Cada salto de desenvolvimento pode ser manifestado de uma forma. Ainda esses dias conversei com uma amiga minha sobre a fase que a bebê dela está passando, “a crise dos 3 meses”, na teoria da externo-gestação, o bebê acredita que ele e a mãe são um e por volta dos três meses a ficha começa a cair que eles são corpos separados e talvez queiram (muito) mais a mãe.

Se vocês reparem nas fases abaixo, o pico desses saltos de desenvolvimento acontece nos primeiros meses e à medida que eles vão crescendo, vão ficando mais espaçados. Essa minha amiga e eu comentamos que na teoria é tudo muito simples e fácil de dizer, é assim e eles vão se comportar assim.

Mas na maternidade real, pode ser muito cansativo, porque talvez você não consiga nem tomar um banho sem ouvir seu bebê chorar, ou então descansar a coluna depois de ter embalado o bebê para dormir porque quando você coloca ele no berço e vira as costas ele já está chorando querendo você novamente.

Os saltos de desenvolvimento não duram para sempre e em breve tudo vai começar a se encaixar. Por isso aproveite os momentos que o bebê está com outra pessoa para fazer as coisas mais simples e que vão te deixar feliz, tomar um banho, ir na padaria, dar uma volta na quadra, ler ou simplesmente dormir.

QUANDO ACONTECEM OS SALTOS DE DESENVOLVIMENTObebe-chorando-no-berco

1 mês (5 semanas)

Melhora da visão: maior interesse pelo ambiente e a possibilidade de seguir objetos brevemente com os olhos; mais tempo acordado; choro com lágrimas e sorriso (pela primeira vez ou com mais frequência).

Aproximadamente 2 meses (8 semanas)

Maior percepção de sons, cheiros e sabores; tentativa de controlar as mãos e os pés; o bebê começa a mostrar um pouco de suas preferências: coisas, cores e sons e maior insegurança e busca de conforto no peito da mãe.

Aproximadamente 3 meses (12 semanas)

O bebê pode enxergar todo um cômodo da casa, virar quando escuta sons altos; consegue juntar suas mãos; mexe nos cabelos e rostos dos pais; praticamente não precisa mais de apoio para manter a cabeça erguida, tem sensibilidade às novidades e busca conforto no colo dos pais.

4 meses e meio (19 semanas)

É o salto mais longo. O bebê chora mais, apresenta mudanças extremas de temperamento e busca mais atenção e colo; consegue pegar um brinquedo, sacudi-lo, colocá-lo na boca e passá-lo de uma mão para outra; pode nascer o primeiro dente; consegue emitir sons mais nítidos; dorme menos, estranha as pessoas; busca maior contato corporal enquanto é amamentado; apresenta alterações no sono; consegue virar de costas e de barriga para baixo, se arrastar, olhar para imagens de um livro, reagir ao seu reflexo no espelho e reconhece o próprio nome.

6 meses (26 semanas)

Busca por maior contato corporal durante as brincadeiras; coordenação dos movimentos dos braços e pernas; o bebê consegue sentar sem apoio; já entende que a mãe pode se afastar quando anda e isso o assusta; interesse em explorar a casa, achar etiquetas, levantar tapetes para olhar o que tem embaixo; presta mais atenção nas vozes, pode imitar sons; rola e começa a se apoiar para ficar de pé; tem maturidade para receber alimentos sólidos.

7 meses (30 semanas)

O bebê tenta alcançar objetos à sua frente, bate um objeto no outro; pode começar a engatinhar, a falar algumas sílabas e a dar sinal de tchau; ansiedade com estranhos.

8 meses e meio (37 semanas)saltos de desenvolvimento - bebe descobrindo o brinquedo

Mudanças frequentes de humor; mais choro; resistência na hora de trocar a fralda; o bebê pode chupar os dedos e protestar quando o contato corporal é interrompido; diminuição do apetite e do sono; o bebê passa a entender a classificação das coisas: por exemplo, sabe o que é comida e o que é animal; pode falar “mamá” e”papá” sem distinção de quem é a mãe ou o pai; o bebê engatinha, aponta as coisas, procura objetos e usa o polegar e dedo indicador para segurar.

Aproximadamente 11 meses (46 semanas)

O bebê pode apontar para algo ou para uma pessoa atendendo a um pedido; tenta falar no telefone, enfiar chaves nos buracos de chave, procurar algo que foi escondido, tenta tirar a própria roupa; já pode falar “mamá” e “papá” para a mãe e para o pai corretamente.

Aproximadamente 13 meses (55 semanas)

Geralmente o bebê começa a andar e a falar mais palavras do que “mama” e “papa”.

Aproximadamente 15 meses (64 semanas)

O bebê já combina palavras e gestos para expressar o que quer; já pode colocar tampas em recipientes, imitar as pessoas e explora tudo que estiver à frente; ele pode ainda apontar para determinada parte do corpo se questionado e responder a instruções como “me dá um beijo”; puxa brinquedos enquanto anda, joga bola etc.

17 meses (75 semanas)

O bebê já usa cerca de 6 palavras com frequência, gosta de imitar, esconder brinquedos, separar brinquedos por cor, formato e tamanho, brincar com bola etc; o bebê já consegue ainda olhar livros sozinho e rabiscar

Referência: Dicas de mulher

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *