Páscoa

 

Podemos falar tantas coisas sobre essa data, sobre o seu significado, sobre os chocolates, histórias legais e outras assim nem tão legais. Convenhamos, virou mais uma data comercial, em que o intuito não é aguçar a criatividade das crianças e sim o consumismo por mais e mais chocolates e, infelizmente, nós “compramos” essa idéia, sim. Tanto é que cada vez mais se vê movimento excessivo nessa época e consumidores loucos para encontrarem aquele ovo ou fazer aquela cesta.

O consumismo em si é banal… Os momentos mais legais que me lembro da páscoa sempre foi a procura pela cesta. A graça toda era acordar domingo de manhã e encontrar as pistas ou seguir as patas do coelho… Quem não teve isso? Quem nunca se divertiu assim?

Meu filho tem 2 anos e 4 meses e eu não acho necessário que ele consuma chocolates (por valor nutricional quase insignificante). A cesta dele se for recheada de carrinhos será muito mais divertida pra ele do que qualquer outra coisa. Vamos passar o feriado na casa da minha mãe, e se for pra fazer algo, vai ser um caça a cesta, com uns confetes, balas de gelatina e provavelmente algum brinquedo.  E, claro, ele vai ter que procurar a cesta dele… porque essa é a parte mais divertida de todas… quero ver o rostinho dele, sorrindo ao encontrar, isso não tem preço que pague.

Vai ser a primeira páscoa real dele, ano passado ele não entendia. Esse ano ele já aprendeu sobre o coelho da páscoa, que o coelho come cenoura e ele também pode comer a cenoura do coelho… Então, a data já está criando algum significado, só espero conseguir fugir do consumo excessivo. Não que não vamos fazer uma bagunça no domingo de manhã também!!!

😀

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!
Comente