Palpites – e nem é a música

Alguém aqui alguma vez pensou em dar palpite na educação do filho da vizinha, da tia ou da amiga?

Cri… cri… cri..

Eu já!

Claro que vale dizer que isso foi antes, bem antes, de eu ter filho. É engraçado como depois de tem filhos isso muda. Pelo menos eu percebi o quanto é difícil tomar decisões, saber a melhor maneira de agir ou qual o melhor cardápio pra eles.

Parei, juro!

Parei de achar que apenas X é o caminho certo, que se alguém resolve percorrer o caminho ém resolve percorrer o caminho Y com certeza vai se incomodar. Parei de incomodar. Parei de me iludir com uma noite inteira de sono se eu fizer isso ou aquilo. Parei de seguir protocolos. Parei de seguir fórmulas que se dizem mágicas.

Parei porque simplesmente não existe um, dois ou três métodos que vão funcionar sempre, sem exceção. Verdade seja dita, não existe uma criança igual a outra e cada pai faz o que acredita ser melhor para seus filhos. E se uma mãe pensa que fazendo de um jeito tal vai ser melhor, well, acho que tenho o direito de deixá-la pensando e educando do jeito que ela optou.

Mas não vem dar pitaco aqui não, que senão vai levar é um pitaco na cara… kkkk. Eu creio que seja assim, cada mãe merece seu devido respeito, ela se esforça ao máximo para dar a melhor educação ao seu filho, ela é única, assim como seu filho, ninguém melhor que ela pra entendê-lo.

Concordam?

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente