O tempo não para!

Ser mãe é algo maravilhoso, um dom tão poderoso que Deus me permitiu ter! Vejo a maternidade como herança de tudo que aprendi, que sou e do que estou ensinando. Quando paro para pensar no poder da maternidade, me encanto e fico chocada ao mesmo tempo. Tamanha responsabilidade que é ser mãe.

Ouço notícias de um caso de abandono aqui e outro ali, casos de abuso infantil e fico totalmente atemorizada. Onde coloquei meus filhos para morar? (ok, eu sei que não temos outra alternativa além da Terra agora!). Mas ao mesmo tempo não quero perder as esperanças que quando eles forem adultos, ainda existirá bom comportamento, política de boa vizinhança, respeito aos mais velhos e que o mundo não estará pior do que está hoje. Quero acreditar que estou educando e ensinando os meus filhos a serem bons e amarem ao seu próximo.

Quando paro para pensar sobre ser uma boa mãe, encontro uma linha limite que se chama tempo. Ah o tempo! Como ele passa rápido, como os dias escorrem entre os dedos, aquelas mãos que era tão pequenas e indefesas, estão crescidas e já sabem escrever sozinhas.

Aqueles olhinhos que ficavam atentos à uma estorinha já conseguem ler as palavras que saltam dos livros. Que alegria poder presenciar tudo isso e que privilégio!

O tempo voa assim como a criatividade nas brincadeiras, corre como aquelas perninhas atrás de uma bola…

Ainda ontem brinquei com o meu filho mais velho que iria parar de dar feijão e que não iria mais deixar ele dormir, só para ver se ele ficava desse “tamanhozinho”, assim quase nem consigo esmagar direito no meu colo. Ele riu e só disse que tinha que continuar crescendo. Mas que saudade que já dá daquele toquinho de gente…

Eu sei que a gente tem a pequena e que ela é um doce de criança, deixa esmagar e é super sapequinha… É um momento tão gostoso que queria poder repetir tudo de novo com o pequeno.

Eu sei que são fatos da vida e que eles até podem crescer… mas vão ser eternamente os nossos pequenos!

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente