Na hora que as crianças dormem…

Oiii…

 

O assunto de hoje é… O que você faz quando as crianças vão dormir?

Tenho certeza que muitas irão dizer: lavar, passar, limpar, arrumar, tomar banho, fazer as unhas, dormir, ler, estudar, assistir filme, colocar roupas para secar, levar o lixo para fora e etc. Quem ainda não é mãe não sabe da dificuldade que é na hora fazer todas essas simples tarefas do dia-a-dia.

Na verdade, hoje quero falar da importância que é para o casamento o momento a dois. Diálogo, carinho, amor e compreensão podem ser demonstrados nessa hora do silêncio infantil.

Com a chegada dos filhos a correria aumenta, os problemas, as dificuldades também. Temos a mesma quantidade de horas em um dia, mas muito menos tempo para dar conta de tantas tarefas. Muitas vezes é importante que os dois peguem juntos para organizar a casa. Conheço algumas pessoas que conseguem dividir as tarefas entre o casal, enquanto um está lavando o banheiro o outro está lavando as vidraças e assim por diante. Aqui em casa eu sempre brinco, com dois, fico feliz que ele cuida e brinca com as crianças enquanto limpo o banheiro, porque senão não seria possível. Na verdade cada casal, com bastante conversa, se adapta a rotina de vida que tem.

Um livro interessante para conhecer melhor o conjugue é “As 5 linguagens do amor. No livro ele fala como cada pessoa tem a sua maneira de demonstrar o amor e como é importante saber a linguagem do amor do seu companheiro de vida para que assim  você consiga atentar e demonstrar o amor que você sente da maneira que ele entende.

Bom, ontem nós dois tiramos a noite para comer uma pizza (que não fosse de milho…kkk…), brincadeira, podemos experimentar uma novidade: pizza sem glutén, uma delícia do Zé Batata, tomar um vinho (obrigada Rodrigo pela bela escolha!), sentar na mesa e conversar muitoooo, rir também, trocar ideias, compartilhar situações. E como é gostoso aproveitar essas horinhas. Um programa caseiro, barato, gostoso e que nem incomodamos a vovó para ficar com as crianças.
Pode ser simples, mas talvez seja do simples que o casamento esteja sentindo falta para ser sustentado. Uma coisa de interessante eu ouvi de um dono de bar: “Se o cara gosta de ficar em casa com a família é porque ele se sente bem, e isso é importante”.

Vale a pena nós refletirmos sobre que tipo de esposas temos sido? Eles tem gostado de voltar e estar em casa conosco?

Beijos…

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *