Menina vaidosa

 

 

Quando soube que seria mãe de menina fiquei feliz claro!!!! Mas ao mesmo tempo olhei para minha realidade de mãe de menino há cinco anos, vivendo uma praticidade, que fiquei pensando como seria ser mãe de menina? Será que daria conta de aprender a usar tantas parafernalhas??? Porque sabe como é menina né…

Eu estava bem acomodada na praticidade de vestir o mais velho com camiseta, bermuda ou calça e tênis. Pronto, acabou… Simples assim! Meninas tem laços, presilhas, tiaras, sapatilhas, botas, tênis, meia-calça, meia soquete, jaqueta, moletom, sobretudo, etc. A verdade é que a lista está longe de terminar. Nem precisa ser mãe de menina para perceber essa diferença gritante nas vitrines das lojas infantis.

Depois que caiu a ficha (talvez tenha demorado um pouquinho), a nossa menininha começou a crescer e a demonstrar pequenos traços de sua personalidade feminina. Acho que o primeiro foi a paixão pela balança… Isso mesmo… Ela gosta de ver os números digitais subindo e descendo cada vez que ela pisa ou senta na balança.

Segundo foi quando ela ganhou uma bolsa de borboleta vermelha da vovó paterna. Ela passeia pela casa com aquela bolsa pendurada, senta e guarda seus brinquedos. Quando dizemos que vamos passear ou para ir para escola, ela pega a bolsa dela e sai feliz da vida dando “tchau”.

E por último o que eu acho mais engraçado e tem sido quebra-galho para mim muitas vezes. O fato dela gostar de passar cremes hidratantes. Como a pele dela é mais ressecada, já é muito bom que ela goste de hidratar a pele. Com o aquecedor ligado no banheiro, fica bem fácil continuar a rotina da beleza dela… hahaha. Tem dias que ela implica em não querer sair do banho, quer ficar curtindo e brincando na água e então, pego um creme e mostro para ela: “Vamos sair Catarina? Passar creme agora!”… Batata! Ela levanta da banheira e sai contente, deixa secar porque ela sabe que vai ficar toda cheirosinha.

Ahhh, mas não basta eu passar o creme nela, ela também tem que segurar e ficar passando nas bochechas dela. Pega um pouquinho e esfrega na bochecha, depois pega mais um pouquinho e passa na minha bochecha. E assim, terminamos de colocar a roupa bem tranquilas.

 

Em casa, ela é uma novidade, uma figurinha e um aprendizado para nós três. Dizem que um filho é diferente do outro. Bom, quando se trata de sexos diferentes acredito que essa diferença é um pouco maior ainda. Mas em muitas coisas eles são parecidos, o que facilita na hora de dar conta da mais nova.

O Cauê sempre brincou de bola e carrinhos, a Catarina gosta de bonecas, panelas e cremes. Como pais, é nessa diferença que nós aprendemos, crescemos e damos risadas. Porque família é isso: um eterno aprendizado. 🙂

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente