Afinal, o que é mecônio?

Bebês são pessoas e pessoas fazem cocô. O primeiro cocô do bebê é chamado mecônio. E nesse texto quero explicar o que é mecônio, o que acontece quando o bebê não faz cocô, ou pelo menos demora para fazer. E também quais são os riscos para o bebê quando ele faz cocozinho na barriga da mãe. Confira!

O que é mecônio?

Mecônio, segundo o dicionário é o suco obtido da papoula, uma certa espécie de ópio. Dentro da fisiologia é substância pastosa de cor esverdeada como a da papoula, que é coletada no intestino do feto e constitui as primeiras fezes dos bebês.

O bebê recebe o seu alimento pelo cordão umbilical e, portanto, os primeiros cocôs são formados de substâncias presentes no útero como muco, enzimas, sais de bile. É formado por volta das 36 semanas e pode ser um indicativo de que o feto está pronto para o nascimento.

A eliminação do mecônio é estimulada pelo aleitamento materno. O colostro é o primeiro leite que o bebê recebe, sendo assim, o bebê ao se alimentar dele, vai fazer com que o seu intestino comece a trabalhar.

Esse cocô esverdeado e pegajoso deve começar a ser eliminado até 24 horas após a hora do nascimento. E ele deve terminar esse processo por volta do terceiro dia de vida. Depois disso, as fezes do bebê serão mais amarelas e líquidas.

O que acontece se o bebê não faz cocô?

mecônio

Fazer cocô é um importante fator para que o bebê possa receber alta da maternidade, isso demonstra que as funções intestinas do bebê estão saudáveis.

Aconteceu comigo!!! O Cauê demorou um pouco mais do que 24 horas. E eu não lembro bem porque, mas na segunda noite no hospital, comecei a ficar neurótica com o fato dele não ter feito cocô ainda. Fui chorando conversar com a enfermeira e explicando a situação. A enfermeira, muito querida, me explicou que poderia ser normal e que se ele fosse estimulado expeliria o mecônio. Ela pegou um cotonete e bem de levinho estimulou o bumbum dele e logo saiu o tal do cocô verde. Para meu alívio!!!

Mas o atraso pode representar atraso ou a impossibilidade de o bebê evacuar. Fato que pde ser originário de três fatores: paralisia intestinal, malformação ou até mesmo obstrução intestinal.

Se o mecônio ficar muito tempo no intestino, pode ser que o bebê venha ter icterícia.

Quais os riscos de o bebê fazer o mecônio na barriga da mãe?

sindrome da aspiração do mecônio

Segundo a doutora Melânia Amorim: “Há dois motivos para eliminação de mecônio durante a gravidez: maturidade fetal, porque o intestino está funcionando a contento, o que é um bom sinal. E sofrimento fetal, porque quando o feto está mal oxigenado aumenta a contratilidade dos intestinos e relaxam-se os esfíncteres (como quando estamos em uma situação de estresse)”.

Ela explicou que é normal que o bebê faça suas necessidades na barriga da mãe. E que quando o bebê faz o cocô, ele se dilui no líquido amniótico. Quanto mais a quantidade de líquido amniótico, mais fácil fica essa diluição.

Porém quando há pouco líquido amniótico, o mecônio não terá como se diluir. Ele ficará espesso. Melânia fala que a “preocupação nesse caso é com o motivo pelo qual o mecônio está espesso, porque o líquido amniótico pode estar diminuído fisiologicamente no final da gravidez e nas gestações pós-termo (que ultrapassam 42 semanas) ou por insuficiência placentária, reduzindo o fluxo sanguíneo para os rins fetais.”

Os sintomas que os recém-nascidos afetados apresentam:

  • Angústia respiratória, na qual respiram rapidamente, retraem a parede torácica ao inspirar e emitem grunhidos ao expirar.
  • Pele pode ficar azulada (cianótica) caso as concentrações de oxigênio no sangue estejam reduzidas e eles podem desenvolver também pressão arterial baixa.

O fato do bebê aspirar o mecônio na barrigada da mãe ou durante o parto pode acarretar em uma inflamação dos pulmões (pneumonite), ou também conhecida como a Síndrome de Aspiração do Mecônio. Nesse caso, boca, nariz, e a garganta do bebê são aspiradas. Os médicos podem colocar um tubo na traqueia do bebê para que não fique nenhum resquício de mecônio no sistema respiratório do bebê.

Dependendo o caso, os bebês podem precisar de um ventilador para auxiliar na respiração e são acompanhados de perto para evitar qualquer complicação como pneumotórax e hipertensão pulmonar.

A maioria dos bebês que aspiram o mecônio sobrevivem. Contudo se esse distúrbio for grave ou até mesmo evoluir para uma hipertensão pulmonar, pode ser fatal.

Fonte: 

Empresa Brasil de Comunicação

Manual MSD

Mãe me quer

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente