Lembranças da infância

Basta fazer aniversário que já lembramos que estamos ficando velhos e começamos a lembrar de quando éramos pequenos, mais novos aquelas doces lembranças, algumas muitas vezes mascaradas mais lindas que elas era na época, sempre é bom lembrar e refletir, faz parte.

Hoje me lembrei do capilé, que me lembrou os acampamentos da igreja, 50 crianças de 10 a 13 anos enchendo o saco de 3 tias, uma delas a minha mãe. Também lembrou cachorro-quente, pipoca com cobertura de chocolate e filmes na minha casa e claro, grandes amigos.

Com muitos amigos dividi minha história, alguns deles permanecem “vivos” até hoje, parceiros mesmo com a distância ou tempo. Com a onda do Facebook e Twitter é bem mais fácil ter esse tipo de contato e torna a nossa vida mais cheia, mais curiosa, mais prazerosa.

Lembrando da minha infância, fico imaginando o que meu filho vai lembrar daqui a vinte e cinco anos, dos perus, ginásio de esporte, da praia…. E do que mais? Por isso tento proporcionar uma infância saudável, cheia de aventuras e descobertas, dessas coisas deliciosas que fazem nossa imaginação voar, quero que ele seja livre pra inventar, criar, imaginar pra que depois de muitos anos tenha lembranças que o faz sorrir mesmo sozinho, dentro do seu carro ou da sua casa ou se estrague de rir contando pros filhos as traquinagens que ele aprontava e deixava os pais de cabelo em pé.

Infância deveria ser a melhor idade, a mais curtida, a mais aproveitada, a mais lembrada.

E vocês, que faziam que lembram com carinho na infância? Que querem passar da experiência de vocês pros seus filhos?

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente