Inhame, experimente!

Quando nossos filhos passam a se alimentar de outra coisa além do leite materno ou artificial, os pediatras normalmente optam por inserir sucos, água e frutas, ok. Até aí… tranqüilo né! E depois vem as papinhas salgadas e surge aquele ponto de interrogação gigante nas nossas cabeças: E agora?

Aqui em casa, eu preparei o alimento separadamente pro meu filho até quase um ano devido ao tempero e as coisas artificiais que naquela época costumávamos usar. A primeira papinha eu ainda lembro:

Primeira papinha

1 Batata inglesa média
1 cenoura média
Um pouco de espinafre
1 colher de sobremesa de óleo de girassol
Uma pitada de sal

Rendeu: 4 porções (ou conchas)

Depois eu sempre procurei variar o cardápio entre tubérculos (batata inglesa, batata salsa, inhame, cará), cenoura, abóbora ou beterraba, folhas: verde claro e verde escuro. Claro que nem sempre tinha todos os ingredientes, mas pelo menos três, sim! Fazia compras duas vezes na semana de verduras e normalmente não saia muito caro, pois a quantidade é pequena, pois era apenas pro almoço e pra janta. Porém pode fazer em maior quantidade e congelar.

Durante os primeiros meses de papinhas eu não havia ouvido ou lido a respeito nem do tal do inhame e nem do cará. Via no mercado e como queria variar os nutrientes da alimentação do pequeno, optava em comprá-los, mesmo não sabendo seu modo certo de preparar, porém como era sopa, tudo certo! E eu nem sabia o benefício que estava fazendo pra saúde do meu filho…

Inhame: rico em vitamina C, potássio, Magnésio, fibras, vitamina b6. Ajuda a fortalecer o sistema imunológico, reduz os níveis de triglicerídeos, reduz os riscos de doenças cardiovasculares, auxilia nos sintomas da menopausa e TPM, ajuda a controlar os níveis de açucares nosangue. Ainda, possui propriedade antiespasmódicas e antiinflamatórias.

*** A médica homeopata da família, recomendou o uso diário de inhame como forma de aumentar a imunidade! E o inverno tá aí, não é mesmo…

Bom, diante desses benefícios todos, como deixá-lo fora da nossa alimentação, basta substituir três vezes na semana a batata por ele. Pra isso, separei três receitas pra vocês, além de acrescentar na sopa e no feijão, claro!!!

 

Purê de inhame – Depois de cozinhar os inhames no vapor ou na água, solte a casca e amasse com um garfo; junte um pouquinho de manteiga e de sal marinho, ou molho de soja, e misture bem. Só precisa ir ao fogo de novo se for para esquentar.

 

Nhoque de inhame – Faça exatamente como faz nhoque de batata: cozinhe os inhames, descasque, amasse com farinha de trigo e uma pitada de sal marinho até a massa ficar com a consistência do lóbulo da orelha. Enrole em cordões, corte, ponha para cozinhar de pouco em pouco numa panela com água fervendo. Quando os inhoques subirem é que estarão cozidos. Se puder, substitua parte da farinha de trigo comum por outra que seja integral. E o molho? Você que escolhe!

 

Suflê de Inhame

• 650 g de inhame sem casca
• 1/4 de xíc. (chá) de creme de leite light
• 3 ovos (gema e claras separadas)
• 2 col. (sopa) de queijo parmesão ralado light
• Pimenta-do-reino e sal a gosto
• Margarina light e farinha de trigo para untar a fôrma

Modo de fazer

Cozinhe o inhame na água com sal. Escorra a água e passe o inhame pelo espremedor de batata. Junte o creme de leite, as gemas e o queijo parmesão. Bata as claras em neve e misture delicadamente à mistura de inhame. Tempere com a pimenta e ajuste o sal. Coloque a mistura numa fôrma para sufl ê untada com a margarina e polvilhada com a farinha. Leve ao forno pré aquecido a 180°C por cerca de 30 minutos.

 

Espero que tenham gostado e principalmente achado útil… experimentem as receitas e, se inventarem uma receita nova ou conhecem uma, apresentem pra mim, pois ando curiosa por mais dicas!!!

Beijos

Fontes:

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente