Grávida ansiosa???

Ansiedade pode prejudicar o parto do primeiro filho

O nascimento do primeiro bebê normalmente é motivo de muita alegria para o casal. Inúmeras expectativas e sonhos são criados frente a esse momento. Entretanto, essa espera pode gerar uma grande ansiedade, em especial para a mulher – um fato que pode interferir no desempenho na hora do parto.

Essa observação foi feita por pesquisadores americanos, da Escola de Enfermagem da Universidade da Califórnia, Estados Unidos, que publicaram os resultados de seus estudos no Journal of Obstetric, Gynecology, & Neonatal Nursing, na edição de setembro/outubro de 2007.

Mulheres, em sua primeira gravidez, foram acompanhadas no último trimestre da gestação, para se verificar quais os fatores associados à dor no período pré-hospitalização para o parto, às condições em que essas mulheres chegavam ao hospital para ter os seus bebês e quais as estratégias de manejo aplicadas a essas gestantes.

Todas as participantes tinham idades entre 18 e 40 anos e estavam com 38 semanas ou mais de gravidez, sem qualquer complicação. Além disso, possuíam um marido ou parceiro estável e participaram dos programas de educação pré-natal.

Durante o acompanhamento os investigadores observaram que o principal fator, que interferia no desempenho tranqüilo do parto, era a ansiedade. Quando uma gestante encontrava-se muito ansiosa ao final da gravidez, o parto tornava-se mais doloroso. Além disso, normalmente essas mulheres procuravam os serviços de maternidade em momentos muito precoces, com pouca dilatação. Contrariamente, aquelas que se demonstravam mais calmas e seguras, permaneciam um período maior em casa, antes de procurar assistência hospitalar e eram atendidas com uma dilatação maior e um trabalho de parto mais adiantado.

Para os autores, a ansiedade é um importante fator a ser trabalhado durante a gravidez, em especial entre as mulheres que estão na primeira gestação. Esse é um passo essencial para que haja um bom desempenho durante o parto e uma experiência tranqüila com o nascimento do primeiro filho.

Fonte: Journal of Obstetric, Gynecology, & Neonatal Nursing; 36 (5): 410 – 418 (September / October 2007)

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente