Estímulos Saudáveis

Estava conversando com uma das professoras do meu filho outro dia sobre o desenvolvimento infantil das crianças em geral, comentei com ela que comprei giz de cera pro Cauê e que nos finais de semana sempre procuro dar papel e o giz para ele brincar, ele

se entretêm por um tempo, logo troca de brincadeira ou às vezes apenas uma nova cor de giz já satisfaz o menino.

Contei também que o deixo brincar com massinha de modelar, nossa, como ele gosta! Fico ao lado dele fazendo bolinhas, amassando as bolinhas, fazemos rolinhos e o menino já até aprendeu a enrolar com as duas mãos simultâneas. Fiquei admirada o dia que eu percebi essa evolução!

A professora disse depois dos meus relatos como é importante para o desenvolvimento deles que esses estímulos também venham de casa. Na idade do Cauê (1 ano e 5 meses) é possível perceber bem pouco a diferença entre as crianças que são e as que não são estimuladas em casa. Porém, quando chega por volta dos 3 anos de idade ela disse que essa diferença é bem perceptível, pelo tipo de desenho que eles desenvolvem em classe, a coordenação deles ao fazerem os traços, essas coisas…

Conversando com outra professora, não lembro como entramos no assunto, mas enfim, comentei com ela que deixo o Cauê folhear livros e que eu fico apontando as figuras, dando nomes aos desenhos. Muitas vezes ele mesmo trás os livros para que eu possa ler junto com ele, do nosso jeitinho. Fofo, né!  Ela falou que imaginou alguma coisa do tipo por causa do interesse dele, ela percebeu que ele gosta muito. Tem crianças que são mais velhas que ele e não tem o interesse que ele tem; que ele consegue inclusive se manter mais concentrado.

Estou contando esses fatos não para me gabar; como boa mãe coruja que sou claro que eu fico orgulhosa, sim! Contudo, relatei para dizer as mamães que fazem essas coisas: Continuem! E as que ainda não fazem: Experimentem! Muitas vezes nem sabemos  o bem que estamos fazendo aos nossos filhos com esses pequenos estímulos, sem contar que é diversão na certa!!!

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente