Educação terceirizada


Cá com meus botões, penso que essa expressão está sendo empregada incorretamente. É normal ouvir falar desse assunto quando uma mãe precisa voltar ao mercado de trabalho e se torna necessário escolher entre as opções: avós, babás e creches para assistirem seus filhos.

Muitas mamães pensam que se deixarem seus filhos com qualquer uma das três possibilidades acima estarão terceirizando a educação dos seus pequenos. Eu venho discordar.

Minha opinião sobre o assunto é quando uma mãe tem a possibilidade de cuidar e educar seu filho, mas não faz, sabe lá por quais motivos!

Hoje, há uma necessidade de incrementar a renda familiar, o que implica que a mãe não poderá ficar de 4 a 8 horas com seus filhos, entretanto no tempo que passa com eles, ela procura se dedicar; há preocupação da parte dela por isso procura observar o desenvolvimento e também o comportamento. Não fica alheia, procura saber como ele se comporta longe dela, se está aprendendo coisas boas e coisas que precisam ser corrigidas.

Desculpa, mas é fácil deixar que os DVDs sejam entretenimento pros filhos, é mais cômodo do que observar e corrigir. A repreensão gera desgaste, a criança faz birra, muitas vezes é necessário repetir diversas vezes até que a criança aprenda. A participação ativa dos pais nas brincadeiras é fundamental para poder perceber as falhas de caráter e assim poder corrigir, é preciso também dedicar um tempo conversando com as professoras na escolinha pra descobrir o comportamento dele com os amiguinhos.

Uma educação permissiva, ou seja, dizer “sim” a tudo que eles querem só vai criar filhos mimados e torná-los adultos com baixa auto-estima. A vida vai lhes dizer muitos “nãos” e se não aprenderem em casa a se frustrar e aprender a lidar com as frustrações o que será deles na vida adulta? De que valem os “sins” sem os “nãos”? A educação permissiva para mim é uma das formas de terceirizar a educação, é esperar pelos professores, pelo governo e não se dar ao trabalho de educar. Claro que o sim é mais fácil agora, contudo, como queremos que nossos filhos sejam no futuro? Será melhor passar trabalho no futuro ou agora?

O que vocês acham a respeito do assunto?

Beijos

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!

3 thoughts on “Educação terceirizada

  1. Ana says:

    Concordo. Educar é sempre uma obrigação dos pais.
    Não da escola, não dos avós, não das babás.
    Para isso não é necessario a mãe parar de trabalhar.
    Ela tem que saber mesmo a distancia “ter os olhos em casa” como diziam os mais velhos.
    Ótima reflexão.
    Bjs!

  2. Aretusa Reis says:

    Eu penso que um caminho equilibrado é o melhor pra se seguir, mas não é tão fácil, enfim!!
    Pra mim, a responsabilidade maior da educação da Sophia é minha e do pai dela, outras pessoas da família são importantes, claro e escola é fundamental, mas em casa é onde está o alicerce de tudo!!
    Eu penso como você, o não faz muito bem para as crianças – e para os adultos também!!
    Beijocas,
    Aretusa, mamãe da Doce Sophia

  3. Cristiane says:

    Polêmico. Realmente não dá pra generalizar dizendo que toda mãe que trabalha fora terceiriza a educação. Eu tenho uma opinião muito sólida sobre a dedicação que uma mãe deve dar ao seu filho, fato, mas “julgo” caso a caso.

    Sobre os “nãos” e “dar limites” concordo com a teoria, mas, na prática o que temos são mães deixando de demonstrar amor aos filhos ao impor independência e maturidade emocional precocemente.

    Larguei tudo para ser mãe e estou realizada. Minha filha está chegando aos 2 anos e ainda não tive nenhum vislumbre real dos famosos “terrible two”. Espero estar no caminho certo. No fundo, é o que toda Mãe (com M maiúsculo) quer, né. =]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *