Dúvida: qual o melhor brinquedo?

Olá mamães e futuras mamães…

Sei que um assunto que preocup a bastante nós mamães, principalmente as de primeira viagem é o desenvolvimento dos nossos babies, queremos ver eles logo caminhando se puder… hehe… mas tudo tem seu tempo e pular etapas não faz bem para eles, por isso, achei um artigo muito legal que fala sobre como podemos desenvolver nossos pequenos através de brinquedos.

Sei que muitas vezes pensamos qual será o melhor brinquedo para ele, para a idade dele? Abaixo tem algumas soluções para desvendar esses mistérios!

Brinquedos pedagógicos:

Os especialistas em puericultura consideram a brincadeira como um dos fatores desencadeadores da evolução motora e desenvolvimento mental da criança. Já foi comprovado cientificamente que é possível desenvolver a inteligência, habilidades, criatividade e autoconfiança da criança através de estímulos em forma de brincadeiras.

Existem no mercado inúmeros brinquedos pedagógicos, os quais, dentro de cada fase da criança, ajudam que elas evoluam tanto na coordenação motora, quanto na inteligência.

DO NASCIMENTO AOS 6 MESES:
Nos primeiros seis meses, tudo para o bebê é novidade. O excesso de brincadeiras os deixam agitados e, até mesmo, superestimulados. Sendo assim, o bebê deve respeitar uma rotina, a qual inclua algum tempo de brincadeiras e atividades, algumas vezes ao dia, mas sem excessos, de modo a não atrapalhar suas sonecas. Para o bebê de até quatro meses, brincar é, principalmente, observar as cores, os movimentos, os sons. Sendo assim, são indicados brinquedos coloridos. Nos primeiros meses, adoram os móbiles dependurados em seu berço. A partir do quarto mês, gostam dos brinquedos que podem agarrar e bater, como bichinhos, bolas e cubos de plástico maleáveis e leves, que facilitem o movimento de “garra” dos bebês. Os brinquedos devem ser grandes o suficiente para evitar acidentes, uma vez que, inevitavelmente, serão levados à boca.

Existem diversos outros brinquedos direcionados para essa fase, como os balanços e os tapetes tipo ginásio, com diversos guizos, que estimulam o bebê a agarrar, puxar e chutar.

DOS 6 AOS 12 MESES:


Inteligência manual e táctil:
(Ajuda depois a criança a ter facilidade na escrita.)
– Dar diferentes objetos para que segure;
– Dar caixas para abrir e fechar;
– Oferecer brinquedos com encaixe;
– Copinhos coloridos de diferentes tamanhos, para serem colocados um dentro do outro, ou um em cima do outro;
– Dar uvas-passas para colocar dentro de uma garrafa de plástico;
– Oferecer brinquedos, como blocos coloridos, para serem montados;
– Mesas de atividades;
– Dar diferentes papéis para amassar;
– brinquedos para dentição, como chocalhos e mordedores;
– Dar espaguetes crus para quebrar;
– Brincar com areia limpa;
– Brincar com panelinhas e água.

Inteligência lingüística:
– Falar muito fazendo perguntas curtas;
– Usar um vocabulário correto;
– Repetir os sons emitidos pelo bebê;
– Expor a outras línguas sem misturá-las.

Inteligência motora:
– Dar oportunidade de arrastar objetos, várias vezes ao dia;
– Brincar de engatinhar;
– Rolar o bebê;
– Dançar com o bebê;
– Por volta dos 11 meses, dar brinquedos com rodas, que auxiliam a criança a andar. As crianças os empurram, como se fosse um carrinho de supermecardo.

ATENÇÃO: Apesar de disponíveis no mercado, os médicos nã o aconselham o uso do andador. Além de fazer a criança queimar etapas, passando a andar antes de engatinhar, o andador força a coluna e a região lombar do bebê. A criança que engatinha e se arrasta fortalece os músculos do pescoço, dos braços e das pernas e se prepara naturalmente para um bom caminhar.
DOS 12 AOS 24 MESES:
A partir dos 12 meses, a criança já está andando e já está bem mais independente. É hora de oferecer giz de ceras grossos para que comecem a fazer os primeiros traços ( sempre na presença de adultos, dado o perigo de colocarem os gizes na boca). Gostam de puxar cachorrinhos, carros e de empurrar carrinhos de boneca; de brincar de faz-de-conta, de fazer comidinha em pequenas panelinhas, de imitar a mamãe limpar a casa (vassouras pequenas, paninhos e pás são ótimos brinquedos); adoram brincadeiras com massinha, as quais devem ser feitas na presença de adultos, bem como de pintar com os dedos e fazer colagens de papel ( também na companhia dos pais). Adoram correr, chutar e arremessar bolas leves, brincar de encaixe, principalmente de brinquedos com chaves. As mesas de atividades mais complexas são uma diversão. Também começam a se interessar por quebra-cabeças, dos mais simples, com peças grandes. Amam brincar com tambores e xilofones. Os brinquedos de madeira trazem grande desenvolvimento motor, como os martelos que batem em pinos e os blocos, os quais as crianças montam casas. Os “lig-lig” e os blocos de encaixe coloridos são muito úteis e ainda distraem as crianças. Adoram brincar de fantoches; de ler livros. Também começam a se interessar em se vestir sozinhos, por volta do vigésimo mês. A partir daí, as bonecas com zíperes e laços para amarrar os sapatos são de grande utilidade.

DICAS:
– A partir dos 8 meses, as crianças amam brincar. Mas da mesma forma que vibram a cada novo brinquedo recebido, cansam-se rapidamente dos mesmos. Uma dica é deixar os brinquedos guardados, dentro do armário ou de um baú, e ir oferecendo, a cada dia, alguns deles. Não deixe grande quantidade de brinquedos disponíveis para a criança.
– Quando perceber que a criança cansou de um brinquedo, guarde-o, por algum tempo ( 20 dias, pelo menos), em um local onde a criança não tenha contato. Decorrido esse tempo, volte a apresentar o brinquedo à criança. Ela o receberá como se fosse um brinquedo novo. Outra alternativa é combinar com mães que tenham filhos em idade semelhante um revezamento de brinquedos. Alternativa ótima, e muito moderna, são as lojas de aluguéis de brinquedo.
– Acostume sua criança, desde bebê, a guardar aquilo que brincar. Apenas passe a brincar com outro brinquedo, caso o primeiro esteja guardado.
– Mantenha sempre os brinquedos limpos, lavando-os sempre, uma vez que nessa faixa de idade é comum que as crianças levem os brinquedos à boca.
– Algumas brincadeiras devem ser supervisionadas, como as com massinhas, com giz de cera e com colagens, pelo risco que apresentam da criança levar algo à boca.

Fonte: Cuidando do meu bebê

Espero que tenham gostado e tenha sido útil para vocês….

Beijos,

Karin


Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!

5 thoughts on “Dúvida: qual o melhor brinquedo?

  1. cASSANDRA bIGATTA says:

    ACHO QUE NÃO EXISTE ‘O MELHOR BRINQUEDO’ PRO SEU FILHO NÃO É?
    TODOS OS QUE ESTIMULAM ALGUMA FUNÇÃO OU ENSINAM ALGUM CONCEITO SÃO SUPER VÁLIDOS.
    AQUI EU CASA EU SÓ COMPRO BRINQUEDOS EDUCATIVOS E SEM DÚVIDAS MEUS FILHOS ADORAM.
    NÃO TEM COISA MELHOR DO QUE APRENDER BRINCADO! SOU SUPER A FAVOR DISSO…
    pARABÉNS PELO POST E POR TODAS AS INFORMAÇÕES, EU ADOREI!
    bEIJOS, cASSANDRA.

  2. Rose says:

    Karin, adorei esse post!!

    ótimas informações viu, seu blog esta um show…espetacular!!!
    Vc é uma pessoa muito caprichosa…
    Esta de parabens…
    Bjinhos em vc e no Cauesinho!!!

Comente