Dia das crianças

Para mim essa semana das crianças foi uma das mais divertidas desde que parei de brincar de bonecas. Para alguns era a maior besteira, as pessoas das redes sociais trocando seus avatars por personagem de desenho animado, gibis ou personagens que marcaram época.

Achei divertido relembrar não somente do que eu assistia como CRUJ, Mundo de Beackmann, Power Rangers e Punk, mas também dos brinquedos como os tazos, o aquaplay e o tamagotchi. Além disso, nas lembranças vem as traquinagens de infância: esconde-esconde, pega-pega, rouba bandeira, pé na bola (espécie de esconde-esconde), taco (bets); sem contar os machucados que hoje as cicatrizes não permitem que eu me esqueça de quando, onde, como e porque aconteceram.

Infância é isto! É além das telinhas da televisão ou do computador. É conhecer e explorar a natureza e suas possibilidades. Descobrir cachoeiras, acampar, tomar água da nascente, subir em árvores e colher do seu fruto, roubar goiaba. É aprender a andar de bicicleta caindo, andar de patins, tropeçar e se equilibrar. É chutar a bola e grita: “GOLLL” e ainda sair fazendo aviãozinho de comemoração, mesmo que não tenha nenhum goleiro além do imaginário.

É calçar os sapatos e roupas da mamãe e sair desfilando como se fosse uma princesa; é casar as Barbies com o mesmo Ken dez vezes mais sempre achar uma nova história pros dois, é não cansar de tomar chá com as bonecas, mesmo que seja apenas água fria ou o suco que sobrou do almoço.

Pular corda, correr, andar sob as muretas, rolar no gramado, contar as estrelas, imaginar formas nas nuvens. Sonhar com as mais diversas profissões e querer ser cada uma delas.

Ser criança é explorar o mundo dentro de si mesma.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!
Comente