Comodidade

Às casadas a minha pergunta: Seu casamento está cômodo? Rotineiro? Passei por essa experiência e sei que à medida do tempo e do convívio, as coisas não são mais como antes quando vocês (nós) namorávamos. Os tempos são outros…

Diálogo?… Ã… em alguns lares podemos perguntar: “o que é isso?” Beijo apaixonado… demorado??? …Ã… Nós sabemos que um beijo mais intenso vai levantar e saberemos que teremos que ir até os finalmentes, entretanto, nem sempre é o que queremos, às vezes só queremos um beijo mais demorado, um abraço apertado e um colo.

A rotina, ao longo dos anos é tão grande que esquecemos das risadas, dos tapinnhas carinhosos no bumbum, das coisas simples que nos fizeram nos apaixonar e querer estar pra sempre ao lado daquela pessoa.

Já me peguei pensando/perguntando: “será esse caminho sem volta?”, será que o casal necessariamente precisa viver assim? Aqueles casais juntos a tanto tempo como conseguem manter a chama acesa? Ou será que se acostumam e se satisfazem com a rotina?

Não é nada fácil trabalhar o dia inteiro, seja fora ou em casa, e a hora que nós colocamos – ou eles colocam – os pés dentro de casa, não tem como não jogar tudo que nos aconteceu em cima deles. Não é à toa que muitas vezes ele liga a TV, se joga no sofá e se concentra lá, apenas para não ouvir toda ladainha (desculpem o termo). Também não imagino que eles esperam que ao chegar em casa estejamos prontas para o sexo mais incrível das suas vidas.

Convenhamos, rotina por si só é cansativa… Como supera-la ao longo dos anos de casamento, eis a questão?

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

4 thoughts on “Comodidade

  1. Mônica Brandão says:

    Karin, muito legal sua reflexão! Acho sim que é um caminho com volta. Mas é preciso paciência, criatividade e MUITA parceria. Tenho 16 anos de casada e descobri algo bem simples: casamentos precisam de respiro. Então, tem dias que não é para discutir a relação ou as contas e sim, para falar do tempo, dos filmes indicados ao Oscar, de assistir uma comédia juntos. Tem horas que é preciso apenas amizade, sem dramas. Não tem importância se não há beijos ou sexo por um tempo (limitado, hein?) em um momento de crise de um dos dois. O importante é a base, a amizade, a parceria, que estará sempre lá. Passada a crise, voltam os beijos. Acho que os casais hoje em dia não tem essa paciência, não sabem ver o outro como parceiro e jogam todas as expectativas em cima do outro. Não é seu parceiro que a fará feliz, não é ele quem vai resolver todos os seus problemas. Quando a gente assume isso e vai atrás de ser feliz sem depender do outro, fica muito mais fácil ser casada.
    beijos
    Mônica

  2. Ana says:

    Questão difícil.
    Mas acho que a diversão tem que existir sempre para quebrar a rotina.
    Passear, viajar, conhecer lugares novos, novos ambientes, procurar coisas que dê prazer para os dois.
    Acho que um casal que consegue rir juntos tem mais chances de durar.
    Com filhos então isso é item básico de sobrevivencia! Rs

    Querida, não vou poder participar da sua promoção.Filhote opera dia 31 e ficará internado. Então estarei ausente da net, não podendo acompanhar o sorteio. Mas no próximo participarei!
    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *