Choro do bebê

Eu estava voltando na escolinha do meu filho quando ouvi uma criança chorar, parei, ouvi atentamente e disse pra mim mesma: “Não é o Cauê!” entã o continuei caminhando. E sempre é assim, ouço um choro, presto atenção e naturalmente sei se é ou não meu filho.

Interessante é como nossos ouvidos se afinam para o choro dos nossos pequenos, como a natureza é divina fez cada choro ser singular, afim de que cada mãe pudesse reconhecer o choro de sua prole. Tão mágico!

Quando estava grávida tinha medo de que isso não fosse acontecer, que eu deixasse meu filho chorando e não soubesse que é ele. Mas é incrível como isso muda algo de instinto mesmo.

Sem contar os choros da madrugada não é?! Quem já pensou que não iria acordar mesmo com os berros do filho? Mas parece que o nosso instinto cria um: Sempre Alerta! E qualquer barulhinho estranho, mexedinha anormal nós já estamos lá de butuca no berço verificando se está tudo certo.

Aprendemos a medida que eles próprios vão nos ensinando, quando é fome, manha, saudade, fralda. Eles são nossos maiores professores, aprendemos observando eles e seguindo nossos instintos e assim a natureza vai fazendo seu papel.

Não é realmente incrível?

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!
Comente