As principais dúvidas sobre amamentação

dia-mundial-da-amamentacao-mamae-e-cia

 

Hoje, dia 1° de agosto é o Dia Mundial de Amamentação, por isso, separei algumas das dúvidas que achei que seriam as principais preocupações ou dúvidas que podem surgir na cabeça das mamães. Espero que elas possam ser esclarecidas e que principalmente sirvam como um incentivo às mamães a continuarem na luta para dar o melhor alimento para seus filhos.

 

1 – O que devo ou não comer durante o período de amamentação?

Tudo que a mãe come reflete no leite materno, por isso é importante que a mãe mantenha uma dieta balanceada e saudável. Comer várias vezes e pequenas porções ajuda a não aumentar os picos de fome. É normal dar muita fome e sede nesse período, fome porque o bebê acaba roubando os nutrientes da mãe e sede porque a matéria-prima básica do leite é a água. Alguns especialistas costumam dizer que quanto maior for a variedade de alimentos que a mãe ingerir, mais facilmente o bebê irá assimilar alimentos depois. Eu imagino assim, todas nós sabemos o que podemos ou não podemos comer. Se ficarmos em dúvida é porque não deveríamos comer. Aquela coisa: posso tomar refrigerante? Quantas vezes vocês já ouviram falar que refrigerante faz bem? Eu nenhuma! Posso comer uma barra de chocolate todos os dias? Tudo que é em exagero não faz bem! Posso beber bebidas alcoólicas? Se não é recomendável na gravidez, também não é durante a amamentação. Um pequeno sacrifício vale pelo bem estar do bebê

Para muitas mães, se alimentar adequadamente pode ser complicado. Não tem tempo de preparar o alimento corretamente e etc. E todas nós sabemos que deveríamos comer mais diversidade de legumes. A gestação já é um desafio, na amamentação é só continuar no ritmo da gravidez e não se render aos excessos, principalmente de gorduras, açúcar, sal e carboidratos. Se você conseguir equilibrar esses elementos com algumas cores no prato, já vai ter evoluído com toda certeza.

 

2 – Estou preocupada com meu peso. Será que não vou emagrecer?

Há muitas pessoas que falam que a amamentação ajuda a voltar ao peso normal. Eu não sei se posso dizer isso. Sentia muita fome durante o período de amamentação. Também li muito que não deveria fazer dieta restritiva enquanto estivesse amamentando o meu filho, pois poderia secar o leite. Eu resolvi não me preocupar com esse detalhe durante o período em que estivesse amamentando. Mas os médicos realmente não recomendam fazer dietas durante o período. Novamente digo, espere mais um pouco. Procure levar seu filho para passear de carrinho, assim você se movimenta mais, e queima umas calorias. Lanches saudáveis como frutas e cereais, além de mais saudáveis e complexos na digestão, normalmente são menos calóricos do que pães e bolos. Mas caso você realmente esteja com saudades de atividades físicas, porque é uma atleta nata, pergunte ao seu médico, ele é a melhor pessoa para indicar o início apropriado da atividade física no seu caso.

 

3 – Existe uma posição adequada para amamentar o bebê?

“É fundamental que a cabeça, o tronco e o quadril da criança estejam alinhados. A barriga do bebê deve sempre estar voltada para o corpo da mãe e a cabeça, um pouco mais alta do que os pés. “Se o pescoço estiver torto ou virado, o bebê pode engasgar, porque não consegue engolir direito”, explica Mônica Pessoto, da Unicamp. A boca da criança deve ainda estar bem aberta, com o lábio inferior virado para baixo e o queixo encostado no peito da mãe.” Sabe como eu tinha certeza que meu filho estava mamando direitinho, de uma maneira que não ia me machucar? Eu observava como estava a “pega” do mamilo, era preciso que ele fica com a boca encaixada, de movo que os lábios dele ficassem “dobradinhos”, aquele abocanhar de foto de cinema, sabe? Lembro que nas primeiras vezes não foi fácil. Mas eu não deixava começar a mamar enquanto não pegasse direitinho. Depois que ele aprendeu a pegar direitinho, não precisava mais me preocupar. Graças a Deus, eu nunca tive problemas com rachaduras nos mamilos, mas uma coisa que eu sempre fazia era depois da amamentação, deixava um pouco de leite secar em cima. Sei lá, achava que funcionava como proteção e hidratação.

 

4 – Por que fazer o bebê arrotar?

Se durante a mamada entrou um pouco de ar, ao colocar de pé a criança no colo e dar os “famosos” tapinhas nas costas, o ar tende a sair. Caso não faça o bebê arrotar mediante a uma necessidade dele, a tendência é que os gases inalados enganem o sistema digestivo, dizendo que ele não precisa mais mamar, enquanto na verdade, ainda não saciou a fome. Os gases ao entrarem no sistema digestivo pode dar desconforto e dor ao bebê. Fonte: BabyCenter.

 

5 – Quais os benefícios da amamentação para o bebê?

“Tanto o colostro (leite dos primeiros dias após o parto) quanto o leite maduro fornecem ao bebê diversos benefícios. Eles vão da proteção imunológica contra uma série de doenças e infecções à prevenção da obesidade e ao auxilio na formação da arcada dentária.” Fonte: Veja.

 

6 – Excesso de leite, o que fazer?

Há mulheres que sofrem com isso. Uma dor! Há aquelas que até febre sentem devido ao excesso de leite. Passei por isso. Há quem acredite que tomar banho quente ou colocar uma bolsa de água quente sobre as mamas seja melhor. Engano viu. A água quente estimula a produção de leite. Então se está com muita dor, na verdade a melhor coisa é um banho mais frio ou então uma bolsa de água fria sobre as mamas. Isso acalma a produção. Não vai secar. Você vai continuar tendo leite. Mas na medida em que seu filho consegue mamar. Até lá, vale também fazer a ordenha manual. “Com o indicador e o polegar na base da auréola, bem na bordinha, ela empurra o local contra o tórax e, depois, faz a extração do leite”. Você pode doar se quiser. Há bancos de leite que precisam muito das mães que tem leite em abundância, melhor coisa é se informar na maternidade da sua cidade. Se caso perceber que os sintomas de inflamação persistirem, é importante procurar auxílio médico.

 

7 – A partir de quando posso amamentar meu filho?

Após o nascimento, de preferência na primeira hora de vida ainda. Hoje em dia há um grande esforço dos profissionais da saúde para que as mães amamentem seus filhos, por isso existe uma grande chance de conversar na maternidade, com o médico que irá fazer o parto sobre essa sua vontade. O contato inicial do filho com a mãe só aumenta o elo entre vocês. Sem contar que o bebê já se sente seguro e familiarizado no novo mundo.

 

8 – Como posso saber se meu filho está mamando o suficiente?

A única maneira de ter certeza é verificar o ganho de peso nas consultas pediátricas. “Para ter uma ideia se o pequeno está satisfeito, preste atenção nas pistas dadas por ele: logo após mamar, deve estar bem relaxado e tranquilo. Além disso, a quantidade de xixi feita ao longo do dia deve ser suficiente para seis fraldas”, explica a consultora em amamentação Lívia Teixeira, do Consultório de Aleitamento Materno, de Salvador. Fonte: Bebê Abril

 

Espero que tenha ajudado, de coração.
Beijos

Karin

 

Se você gostou deste post, talvez  queira ler mais:

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *