As famosas brigas entre irmãos!

Então resolvi falar de um assunto  novo, mas abordando um antigo, o livro que estou lendo: Filhos, novas idéias sobre educação de Po Browson e Ashley Merrymann da editora Lua de Papel. Recomendo demais esse livro, para mim ele tem esclarecido diversos paradigmas e hoje quero abordar esse tema: as brigas entre os irmãos.

Ainda não penso em ter outros filhos, mas enfim, a maioria de nós pais pensa que as brigas acontecem principalmente para chamar a nossa atençã o para eles, mero engano, viu!

Também fiquei admirada, de cara no chão quando percebi que não! Segundo pesquisas realizadas com crianças de diversas idades, o maior índice de brigas ocorre principalmente pela disputa de brinquedos, objetos e etc. Nossas crianças não sabem compartilhar as coisas, fato!

Ok, nós percebemos isso, mas quantas vezes não pensamos que eles estavam fazendo isso por causa de atenção? O segundo motivo de brigas era simplesmente…brigas! Ã???…vai entender?!

Para aqueles que pensam que a dificuldade de interação é devido à idade ou ao sexo, também estão enganados. Eu sei, eu sei… também pensava isso… a gente fica mais ou menos ou totalmente… perdida?!

Bom, ao invés da idade e do sexo, a pesquisadora Dra Laurie Kramer da Universidade de Illinois diz para nós observarmos a interação e o comportamento dos nossos filhos com o melhor amigo deles, afinal a amizade precisa ser conquistada e se torna algo de extremo valor para eles, baseada nisso, ela percebeu que aqueles que era cordiais com seus amigos tendem a ser mais camaradas e a conviverem melhor com o irmão mais novo.

Outra coisa que eu achei intrigante é que “mesmo em famílias em que os filhos recebem muito carinho dos pais, os filhos caçulas podem não desenvolver um relacionamento saudável com os irmãos se ninguém ensinar a eles como fazê-lo.”

Óbvio? Talvez!

Mas como eu nunca pensei nisso antes???

Entretanto, para que isso ocorra… Adivinhem?… É preciso paciência e companheirismo dos pais! Sim, seremos nós quem ensinaremos a eles a escolher uma brincadeira que satisfaça os dois, ensiná-los a convidar um ao outro para participar e também respeitar o outro quando aquele quer brincar sozinho.

As brigas, essas sempre vão acontecer! Mas já será de grande valia se percebemos uma interação saudável entre os filhos, se apesar das brigas eles souberem reconhecer que machucaram o outro, seja no físico ou no emocional, enfim, se quando crescerem souberem se respeitar e conviverem de forma agradável entre eles! Imagino que no final das contas, é isso que todo pai torce!

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey's Anatomy!

Comente