Ansiedade para o parto?

 

963185_22043487

 

Oi meninas…

 

Tudo bem???

 

Como vocês puderam ler no Relato do parto da Catarina, o nascimento dela foi bem na estica… com 40 semanas e 1 dia. Ok, eu sei que tem pessoas que esperam mais que eu para o nascimento dos seus filhos e que tem outras que não. Na verdade, eu esperava ela antes, porque dizem que o segundo vem mais rápido e como o Cauê já tinha sido antes (39s 4d), eu tinha a forte expectativa que ela nascesse antes.

Mas enfim, veio no tempo que ela estava madurinha para nascer… o que realmente foi muito bom!

 

De qualquer jeito, nós ficamos ansiosas e as pessoas ao nosso redor também. A partir das 38 semanas tudo vira em “algum sinal?” Minha sogra me ligava todo santo dia, a primeira ligação do dia era para saber se eu estava sentindo alguma dorzinha… algum sinal de que ela viria aquele dia. Ficou mais tranquila dias depois que eu avisei claramente que seria a primeira pessoa que eu avisaria, até porque precisava me programar com o meu filho mais velho e tudo mais. Dai ela me ligava a cada dois dias… hahaha…

Sem contar os amigos, pessoas que as vezes a gente nem se toca que estão também na expectativa… E sabe o que isso mostra? Eles se importam conosco e isso é tão gostoso.

 

Com tanta “pressão”, eu entendi porque muitas pessoas marcam cesárea. Se eu fosse corajosa, quem sabe teria marcado também… Eu entendi de verdade e não julgo quem resolve antecipar o nascimento do seu filho. Cada um sabe o que faz…

 

Ainda temos que lidar com tudo isso, não é mesmo? Driblar a ansiedade… Os dias parecem meses, as semanas anos e como faz?

 

Bom, o jeito que encontrei para driblar a tal da expectativa foi trabalhando. Trabalhei até no dia que entrei em trabalho de parto. Trabalhar mantinha minha cabeça ocupada, conversava com os clientes, tentava auxiliá-los no que precisavam e claro, acabava falando da gravidez, não tem como não!

 

Aproveitei os dias para curtir o pequeno também. Dar atenção e conversar sobre como seria nossa vida depois que a pequena nascesse. O inchaço e a barriga grande às vezes incomodavam para brincar no chão, mas o esforço valia a pena. Ele ficava todo feliz quando mostrava para o pai o que nós dois tínhamos criado com o LEGO.

 

Como um dia a minha professora de História escreveu no quadro: Passará

A gravidez passará, levará seu tempo, mas ela vai passar…

Eu sei que tem as coisinhas oriundas dela que muitas vezes incomodam e enchem o saco, entretanto, aproveitem o quanto podem curtir a barriguinha (barrigona), os movimentos, façam filmes, tirem muitas fotos, comprem maquiagem, divirtam-se de maneira gostosa e equilibrada. Lembrem-se… PASSARÁ!!!

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!
Comente