A arte de educar


A maior tarefa incumbida aos pais é preparar seus filhos pro mundo, para a vida, Içami Tiba diz: “A vida da criança é regida pela vontade de brincar, de fazer algo. A cada movimento está descobrindo a vida e os valores num processo natural de aprendizagem.”

Desde recém-nascido já é possível perceber o que elas querem e a medida que elas crescem só vão deixando mais claro. Assim como Içami Tiba, acredito que elas precisam aprender os limites desde cedo, o “sim” e o “não” devem ser ensinados porque se elas sabem o que podem e o que não podem fazer aprenderão a tomar decisões, a fazerem suas escolhas; além de ajudar no desenvolvimento, molda sua auto-estima.

Educar é um desafio porque demanda tempo e muita energia, é preciso prestar atenção no que elas querem nos dizer. Içami Tiba ensina uma técnica de: Parar, ouvir, olhar, pensar e agir. Parar de fazer o que estamos fazendo ou senão se abaixar e pedir para a criança esperar; ouvir vai além de simplesmente ouvir com os ouvidos, é prestar atenção olhando nos olhos, pois ela está aprendendo a se comunicar e isso lhe será útil na vida adulta; olhar é através dele que demonstramos que estamos devidamente interessados no que ela está dizendo e sem contar que minimiza o nosso desvio de atenção deles. Pensar devemos racionalizar o que queremos que eles aprendam: valores, princípios, etc. Agir é quando a criança vai prestar atenção ao que dizemos e memorizar (por isso é tão importante o passo do pensar), pode ser uma ação ou uma resposta, mas precisa ser clara e objetiva pois elas desviam rapidamente de foco. Vale aqui, avaliar se a resposta é melhor para a criança ou se estamos respondendo qualquer coisa para dispensá-la logo.

Se analisarmos, é mais fácil educar ao poucos, no dia-a-dia, do que corrigir ou tentar concertar depois. Crianças são bem espertinhas, elas nos testam toda hora e diversas vezes sobre uma mesma coisa, por isso precisamos ser firmes; se uma atitude não é permitida uma vez, ela não deve ser permitida sempre, desta forma estamos moldando seu caráter e auto-estima.

Sei que às vezes bate um desespero e parece que não vamos dar conta, vale até chorar nessas horas, entretanto o importante é não desistir e sim persistir por filhos bem educados, responsáveis e éticos. Todo o cansaço, empenho e desprendimento valerão a pena, com certeza.

E vocês, qual a maneira que utilizam para educar seus filhos? Como vocês se fazem entender pra eles? Existe alguma dificuldade por ai?
Beijos

Karin

 

– Bibliografia: Tiba, Içami. Quem ama, educa! Formando cidadãos éticos. Ed. Atual. São Paulo: Integrare, 2007.

 

Se você gostou deste post, talvez queira ler mais:

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente