5 fatos sobre a vida de mãe

  1. Mãe também é mulher!

Óbvio? Nem tanto! Eu sei que parece óbvio. Perdoe-me as que ainda não são mãe. Mas é outra realidade. Depois que nos tornamos mães temos que pensar em tantas coisas ao mesmo tempo: o jantar, as fraldas, o café da manhã do outro dia (mesmo ainda sendo meio-dia), buscar as crianças na escola, arrumar a casa, passar roupas,  etc. Não vou fazer a lista, ela é muito grande!

Verdade que muitas vezes, na correria, não lembramos nem de passar o batom. Esquecemos de responder as amigas no WhatsApp ou que era uma data super mega importante para comemorar. Mãe também é mulher e ainda gosta de se arrumar (mesmo que seja só de vez em quando), gosta de passear para olhar uma vitrine com calma, sem crianças puxando para comprar sorvete, gosta de saborear a comida, porque muitas vezes ela mesma esquece de comer. Para lembrar que mãe também é mulher recomendo que leia o post que escrevi outro dia falando sobre o dia de folga da mamãe. É uma dica bem bacana, principalmente quando ela é colocada em prática!

  1. Saltos altos são artigos de decoração!

Eu lembro da época quando só existiam os sapatos de vovós ou de bancárias. Depois das crianças, eu admiro quem consegue se manter no salto e andar para lá e para cá com as elas a tira colo. Eu agradeço de coração ao criador das sapatilhas! Verdadeira inspiração! Já parou para reparar em como existem peças lindas e maravilhosas a preço de salto alto! Pasmem! É um item indispensável, sem contar que em todas as ocasiões elas são bem vindas. Confesso que ainda tenho meus saltos altos, não consigo me desapegar deles, afinal de contas, sempre pode surgir uma oportunidade para desfilar com eles, basta convidar as amigas ou maridão para uma saidinha! 😉

  1. Valorização do tempo

Acho que essa é o fator mor da vida de mãe. O tempo é cronometrada muitas vezes: Acorda, café da manhã, arrumar as coisas para levar as crianças na escola, trabalho, pega os filhos na escola, dá almoço, leva na avó, trabalho, pega os filhos na avó, tomar café com a família, fazer lição de casa, banho, estorinha, dormir.  Ou para aquelas que tem o privilégio de cuidar das crianças não é muito diferente: tem que aproveitar que as crianças estão na escola para fazer ABSOLUTAMENTE TUDO, buscar os filhos na escola, fazer lição, fazer comida, brincar, fazer comida, banho, estorinha, mamadeira, dormir. Tempo! Nesse meio campo de funções aprendemos que precisamos nos organizar para dar conta das diversas áreas de nossas vidas. Aprendemos que as horas simplesmente voam como águias e que os filhos crescem mais rápido do que podemos usufruir.

  1. Coração ambulante!

Se você tem um, dois ou três filhos… A quantidade de corações seus espalhados pelo mundo aumenta a medida que aumenta o número de filhos. Ficamos preocupadas, ansiosas, questionamos, brigamos e fazer absolutamente tudo por esses corações ambulantes. Quando eles se machucam, a dor em nós é aumentada, a mesma verdade vale para quando estão doentes, apaixonados, em véspera de vestibular. Eles são parte de nós. Nós cuidamos e geramos, amados e zelamos por aqueles seres que um dia já estiveram extremamente indefesos em nossos braços.

  1. Você só entende sua mãe depois que se torna uma!

Quantas vezes eu ouvi falar dessa frase quando era criança e ela não significava nada para mim. Não tinha impacto. E também não teve logo que meu filho nasceu. Foi preciso eu aprender e entender o que é ser mãe. Quão complexo e quão maravilhoso é ter esse dom de Deus. Aprende também que ouvir sua mãe não é tão ruim assim, que ela pode e tem razão em tantas coisas. “Ahhh… como fui burra em não ouvir minha mãe antes” você até pode chegar a pensar nisso… “Ela realmente só queria o meu bem”. É maravilhoso chegar à essa conclusão e poder ser essa pessoa que você deveria ter sido quando era mais nova. Graças à Deus quando ele ainda permite que você possa ouvir os conselhos de sua sábia e amada mãe. Agora você já descobriu como ela só quer o seu bem, não é mesmo?

 

Você concorda? Acha que esqueci de algum fato???

Comenta aí, o que você sentiu que mudou depois que você virou mãe!

 

 

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂




Comente